início > contabilidade Ano XXI - 20 de novembro de 2019



QR - Mobile Link
COSIF 1.4.2 - Títulos de Renda Variável

COSIF - PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SFN
COSIF 1 - NORMAS BÁSICAS
COSIF 1.4 -
Operações Interfinanceiras de Liquidez e com Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos

COSIF 1.4.2 - Títulos de Renda Variável (Revisado em 05-11-2019)

NOTA DO COSIFE: Veja

  • NOTA 1.4.1 sobre o Funcionamento do Mercado de Ações e os Crimes contra Investidores
  • Títulos e Valores Mobiliários em Garantia - NOTA 1.4.2.7

1.4.2.1 - Compõem a carteira de títulos de renda variável: (Circ. 1273) [ver NOTA 1.4.1.1]

a) as ações subscritas ou havidas por investimentos compulsórios, destinadas a negociação em mercado;

b) os bônus de subscrição de companhias abertas;

c) os certificados e cotas de fundos de renda variável;

d) ações adquiridas no mercado para livre negociação;

e) outros títulos adquiridos ou subscritos.

1.4.2.2 - As ações e cotas recebidas em bonificação, sem custo para a instituição, não alteram o valor de custo das aplicações no capital de outra sociedade, mas a quantidade das novas ações ou cotas é computada para a determinação do custo médio unitário. (Circ. 1273) [ver NOTA 1.4.1.2]

1.4.2.3 - Os rendimentos produzidos pelos títulos, inclusive cotas de fundos de renda variável, registram-se a débito de DIVIDENDOS E BONIFICAÇÕES EM DINHEIRO A RECEBER, quando declarados e ainda não recebidos, em contrapartida com RENDAS DE TÍTULOS DE RENDA VARIÁVEL, para as ações/cotas adquiridas há mais de 6 (seis) meses, ou em contrapartida com a conta que registra o custo de aquisição para as ações/cotas adquiridas há menos de 6 (seis) meses. (Circ. 1273) [ver NOTA 1.4.1.2]

1.4.2.4 - Os resultados obtidos na venda de títulos de renda variável contabilizam-se na data da operação. (Circ. 1273)

1.4.2.5 - Quando houver contrato de distribuição, cada entidade envolvida na operação registra a parte da corretagem que lhe couber, pelo valor líquido. (Circ. 1273)

1.4.2.6 - As ações da própria instituição adquiridas e mantidas em tesouraria figuram subtrativamente no Patrimônio Líquido, retificando a conta de reserva que deu origem aos recursos nelas aplicados. (Circ. 1273)

NOTA DO COSIFE: Veja o COSIF 1.16.6.1 - As AÇÕES EM TESOURARIA devem ser apresentadas no balanço de publicação dedutivamente da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

1.4.2.7 - Nas operações de empréstimos de ações da carteira própria, devem ser observados os seguintes procedimentos contábeis: (Cta Circ 2.747 item 1)

a) os direitos relativos a empréstimo de ações devem ser registrados no título DIREITOS POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES, em contrapartida ao título TÍTULOS DE RENDA VARIÁVEL;

b) a valorização das ações cedidas por empréstimo e a remuneração contratada na operação devem ser registradas no título RENDAS DE DIREITOS POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES, em contrapartida ao título DIREITOS POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES;

c) a desvalorização das ações cedidas por empréstimo deve ser registrada no título RENDAS DE DIREITOS POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES, até o limite do saldo da conta, e o que exceder, no título OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS.

1.4.2.8 - As entidades tomadoras de ações por empréstimo devem observar os seguintes procedimentos contábeis: (Cta Circ 2.747 item 2)

a) as ações recebidas por empréstimo devem ser registradas no título TÍTULOS DE RENDA VARIÁVEL, em contrapartida ao título CREDORES POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES;

b) a remuneração contratada (encargos e emolumentos) e a valorização das ações tomadas por empréstimo devem ser registradas na conta DESPESAS DE EMPRÉSTIMOS NO PAÍS - OUTRAS INSTITUIÇÕES, em contrapartida a conta CREDORES POR EMPRÉSTIMOS DE AÇÕES;

c) a desvalorização das ações tomadas por empréstimo deve ser registrada no titulo DESPESAS DE EMPRÉSTIMOS NO PAÍS - OUTRAS INSTITUIÇÕES, até o limite do saldo da conta, e o que exceder, no titulo OUTRAS RENDAS OPERACIONAIS.


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.