início > textos Ano XXII - 22 de outubro de 2020


QR - Mobile Link
PRECISAMOS COMBATER O TERRORISMO ELEITORAL

PRECISAMOS COMBATER O TERRORISMO ELEITORAL

REVISTA VEJA PUBLICA DIREITO DE RESPOSTA DE DILMA

São Paulo, 27/10/2014 (Revisado em 22-06-2017)

Referências: O Terrorismo Eleitoral dos Mercenários da Mídia.

PRECISAMOS COMBATER OS MERCENÁRIOS DA MÍDIA

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Terminada a apuração dos votos relativos à Eleição Presidencial no 2º Turno de 2014, foi vitoriosa a Presidenta Dilma Rousseff que teve pouco mais de 3 milhões de votos que o seu único adversário político.

É difícil imaginar que mesmo depois de tudo que o Brasil progrediu a partir de 2003 ainda exista tanta gente que, em tese, não tenha capacidade intelectual ou cultural para enxergar todo esse progresso.

CAMPANHA PARA PERPETUAÇÃO DO ANALFABETISMO

Para que os jovens não aprendam, no Estado de São Paulo, por exemplo, recebem o certificado de alfabetização as crianças que ainda não aprenderam a ler e a escrever. O sistema de aprovação é automático, sem a necessidade de ser atingida uma nota mínima.

O mesmo acontecia nos tempos do MOBRAL - Movimento Brasileiro de Alfabetização instituído durante o Governo Militar pela Lei 5.379/1967 (foi extinto em 1985, por falta de verbas públicas; a responsabilidade foi transferida pelo Decreto 91.980/1985, no Governo Sarney, para Fundação Educar, extinta em 1990).

Veja o texto História da Alfabetização de Adultos - a partir de 1960.

Faltaram as verbas públicas para o MOBRAL porque nas décadas perdidas de 1980 e 1990 o Brasil estava falido tal como estão a partir de 2008 os Estados Unidos e a Europa.

Pergunta-se: Como os Mercenários da Mídia querem vender seus periódicos, se não lutam contra o analfabetismo?

A ESPERTEZA DOS DIRIGENTES DO PSDB

Na verdade, os dirigentes do PSDB foram extremamente espertos ao colocarem como candidato um protótipo de galã do cinema norte-americano. Assim, o voto feminino tornou-se importante.

Como dizia Leonel Brizola: "Mulher não vota em mulher", especialmente se o adversário for um galã como era Ronald Reagan em 1970 e Collor de Melo em 1989. Infelizmente essa é a realidade.

Entretanto, faltou esperteza ao partido dos mais ricos quando a Revista Veja publicou, na edição que criticava a Marina Silva, que Armínio Fraga seria o Ministro da Fazenda de Aécio Neves. Depois das entrevistas concedidas pelo presidente do Banco Central do Brasil do segundo mandato do Governo FHC, principalmente no programa da Miriam Leitão na Globo News, a Presidenta Dilma Russeff conseguiu abocanhar pelo menos 5 milhões de votos. Assim, mais uma vez ficou demonstrado que o PSDB não sabe escolher seus assessores. Ou, seus dirigentes estão menosprezando o discernimento do eleitorado. Enfim, esses erros cometidos pelos tucanos bons de bico têm sido muito bons para o Brasil, deixando-os fora do governo federal.

O TERRORISMO ELEITORAL DOS MERCENÁRIOS DA MÍDIA

Também infelizmente ainda existe muita gente que se deixa influenciar pelo Terrorismo Eleitoral propagado pelos Mercenários da Mídia. Estes são representantes dos donos do poderio econômico (seus anunciantes), os quais financiam as campanhas eleitorais dos partidos políticos tidos como de extrema-direita.

É importante salientar que ter esses mercenários não é privilégio, nem a grande mazela do Brasil. Eles existem no mundo inteiro. Por intermédio deles, os donos do poderio econômico querem transformar os eleitores em meros idiotas, sabido que não podem impedir o povo de votar. É o que dita a tal democracia em que somente os ricos mandam e desmandam até certo ponto.

ORIGEM DOS TERMOS

Aliás, os termos "Terrorismo Eleitoral" e "Mercenários da Mídia" tem sido propagado pelo site do COSIFE desde os tempos em que ainda não existiam o Google e o Wikipédia, que são os sites mais visitados do mundo.

Vejamos os endereçamentos de alguns textos aqui publicados sobre o terrorismo eleitoral dos mercenários da mídia:

REVISTA VEJA PUBLICA DIREITO DE RESPOSTA DE DILMA

Revista Veja cumpre decisão judicial e publica direito de resposta após divulgação de reportagem caluniosa contra Dilma Rousseff e Lula. Leia a íntegra do texto do direito de resposta

Pela Redação do site Pragmatismo Político. Publicado em 26/10/2014

A revista Veja publicou na madruga deste domingo (26/10/2014) o direito de resposta concedido ao PT pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação à reportagem de capa da semanal desta semana. A matéria afirma que a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção da Petrobras.

O ministro Admar Gonzaga, do TSE, concedeu na noite de sábado (25/10/2014) o direito de resposta por considerar que a publicação não teve “qualquer cautela” e transmitiu a acusação de “forma ofensiva” e em “tom de certeza”.

O Ministro afirmou na liminar:

Fácil perceber que a revista Veja desbordou do seu direito de bem informar para, de forma ofensiva e sem qualquer cautela, transmitir ao seu grande público, em tom de certeza, acusação de que Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva tinham ciência de fato criminoso sobre um dos badalados temas desta campanha presidencial”.

Mais cedo, o mesmo ministro decidiu atender outra liminar que proíbe a Editora Abril, responsável pela publicação da revista Veja, de veicular publicidade da última edição em rádio, televisão, outdoor e propaganda paga na internet.

Justificou o Ministro Gonzaga do TSE:

Tendo em vista que a Representada (revista Veja) antecipou em dois dias a publicidade da revista, entendo que a propagação da capa, ou do conteúdo em análise, poderá transformar a veiculação em verdadeiro panfletário de campanha, o que, a toda evidência, desborda do direito/dever de informação e da liberdade de expressão”.

Leia a íntegra do direito de resposta de Dilma Rousseff:

VEJA veicula a resposta conferida à Dilma Rousseff, para o fim de serem reparadas as informações publicadas na edição nº 2397 – ano 47 – nº 44 – de 29 de outubro de 2014.

"A democracia brasileira assiste, mais uma vez, a setores que, às vésperas da manifestação da vontade soberana das urnas, tentam influenciar o processo eleitoral por meio de denúncias vazias, que não encontram qualquer respaldo na realidade, em desfavor do PT e de sua candidata.

A Coligação “Com a Força do Povo” vem a público condenar essa atitude e reiterar que o texto repete o método adotado no primeiro turno, igualmente condenado pelos sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por terem sido apresentadas acusações sem provas.

A publicação faz referência a um suposto depoimento de Alberto Youssef, no âmbito de um processo de delação premiada ainda em negociação, para tentar implicar a Presidenta Dilma Rousseff e o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ilicitudes. Ocorre que o próprio advogado do investigado, Antônio Figueiredo Basto, rechaça a veracidade desse relato, uma vez que todos os depoimentos prestados por Yousseff foram acompanhados por Basto e/ou por sua equipe, que jamais presenciaram conversas com esse teor".

TERRORISMO ELEITORAL CONTRA PT PRECEDE VOTAÇÃO DO SEGUNDO TURNO

Suposta morte por envenenamento do doleiro Alberto Youssef e alerta sobre tentativa de fraude em pesquisa eleitoral ganham as redes sociais

Por Márcio Morais, da Agência PT de Notícias. Publicado em 26/10/2014

Nas últimas doze horas, dois episódios de terrorismo eleitoral foram registrados no Brasil com a nítida intenção de tumultuar o processo eleitoral, que se encerra neste domingo (26/10/2014) com o segundo turno de votação. Felizmente, sem sucesso.

Em um deles, informações sobre a morte, por envenenamento, do doleiro Alberto Youssef, veiculadas na noite de sábado (25/10/2014) em redes sociais, foram prontamente desmentidas pela Polícia Federal do Paraná, onde ele está preso desde março.

A PF esclareceu, tarde da noite, que Youssef foi internado naquela mesma tarde por causa de uma forte crise de hipotensão arterial (queda da pressão), causada por efeito colateral da medicação que toma para tratamento de doença cardíaca crônica.

É a terceira vez que ocorre atendimento médico de urgência após a sua prisão. São infundadas as informações de possível envenenamento”, relatou a PF, em informativos veiculados via internet.

Segundo a PF, ele passou bem à noite e deve permanecer sob observação médica por 48 horas, para adequação da medicação. “Não havendo nenhuma outra intercorrência, (Costa) retornará à carceragem da PF na superintendência da PF, após seu pleno restabelecimento”, informou a comunicação social do órgão.

Pesquisa – O outro episódio envolve o instituto de pesquisa Veritá. Um dos sócios da empresa, Ide Assis, em alerta veiculado nas redes sociais, acusou a “Cosa Nostra” (máfia) de uma suposta tentativa de intimidação ao instituto para promover uma fraude no resultado da pesquisa eleitoral de intenção de votos elaborada na véspera (sábado, 25/10/2014) das eleições, pelo instituto.

Segundo Assis, o resultado apontava a vitória da petista Dilma Rousseff por 53% a 47% dos votos válidos sobre Aécio Neves – resultado fechado às 17h30 do sábado. Mas, na mensagem, disse temer pela adulteração desses números, para beneficiar o adversário tucano.

Meu sócio está sofrendo pressão da ‘Cosa Nostra’ para divulgar (dado) diferente. Não sei se resistirá”, afirmou.

Assis suscitou a população a desconfiar do resultado, caso seja diferente daquilo realmente apurado pelo Veritá.

Lavagem de dinheiro – O doleiro vive a fase de conclusão do processo de delação premiada com a justiça federal, obtida por Costa. Youssef deporá na quarta-feira (29/10/2014) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Uma eventual piora na saúde poderá adiar o depoimento ao Congresso Nacional.

Youssef responde por crimes de lavagem de dinheiro – já foi condenado por corrupção ativa a quatro anos e quatro meses em dois processos relativos ao Banestado [fato ocorrido principalmente durante o Governo FHC - de 1996 até 2002], pelo mesmo crime – e é investigado por um esquema milionário de corrupção envolvendo dinheiro público.

Um acordo com a Justiça e o Ministério Público o levou à delação premiada, espécie de acordo processual que permite a redução da pena do réu se as informações contribuírem com as investigações. Ele revelou, em depoimento, uma lista de 28 congressistas que teriam recebido propinas de empreiteiras que trabalham para a Petrobras. Segundo o doleiro, os valores variavam de R$ 100 mil a R$ 150 mil mensais.

Sem gravidade – Boletim médico divulgado a pouco, em Curitiba, pelo hospital onde está internado, informa que Youssef apresenta exames laboratoriais e outros complementares dentro da normalidade. Eis a íntegra:

O senhor Alberto Youssef deu entrada na UTI do Hospital Santa Cruz no dia 25/10/2014, às 16h20, devido a episódio de síncope a esclarecer. Chegou com quadro clínico estável, apresentando sinais de desidratação e de emagrecimento importantes. Na avaliação inicial não apresentava sinais de intoxicação exógena e/ou medicamentosa e quadro cardiológico estável. Até o momento apresenta exames laboratoriais e outros exames complementares, dentro da normalidade. Conforme última avaliação médica, o paciente apresenta-se consciente, lúcido e orientado, com sinais vitais dentro da normalidade. Necessita de observação e monitorização contínuas.