início > textos Ano XXI - 10 de dezembro de 2019



QR - Mobile Link
A MEGALOMANIA DOS MEGA-ESPECULADORES

OS ESTADOS UNIDOS E A CONVERSÃO DA SUA DÍVIDA

A EXTINÇÃO DO SISTEMA MONETÁRIO INTERNACIONAL

São Paulo, 28/03/2009 (Revisado em 22-03-2019)

Referências: Crise Mundial ou Internacional, Estados Unidos como Emissor de Papel Moeda Sem Lastro, Planejamento Tributário, Contabilidade Criativa (Fraudulenta), Sonegação Fiscal, Fraudes Contábeis e Financeiras das Multinacionais, Internacionalização do Capital em Paraísos Fiscais, Lavagem de Dinheiro e Ocultações de Bens, Valores e Direitos, Evasão Cambial ou de Divisas, Estatização, Balanço de Pagamentos

17. A MEGALOMANIA DOS MEGA-ESPECULADORES

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Desde a década de 1970 os profissionais do mercado de capitais vêm "trabalhando" em prol das artimanhas engendradas pelo Capitalismo Bandido dos Barões Ladrões. Essas fraudes contra investidores, vêm impingindo durante décadas significativas perdas aos incautos investidores das Bolsa de Valores, que foram transformadas num imenso Cassino Global pelo empresariado inescrupuloso com a conivência dos profissionais do mercado. Muitos destes estão realmente interessados nas altas comissões ou corretagens que poderão ganhar, por isso, alguns acabam iludindo investidores.

Diante de tantas fraudes financeiras e contábeis praticadas com o auxílio de consultores em Planejamento Tributário, a sonegação fiscal passou a imperar principalmente nos países desenvolvidos, de onde partiu essa negativa tecnologia para os países emergentes. Tal tecnologia para o mal, tornou-se altamente depreciativa dos controladores de grandes empresas, principalmente nos Estados Unidos.

Foi nesse praticamente irreversível panorama desfavorável às finanças mundiais que os irresponsáveis mega-especuladores atolaram os Estados Unidos ao enganarem os ingênuos ou incautos investidores. Os mega-especuladores provocaram o desmoronamento do frágil castelo de cartas marcadas em que estava alicerçada a também frágil economia do país símbolo do capitalismo selvagem. Por esse motivo um dos presidentes da Bolsa de Valores norte-americana foi condenado a 150 anos de prisão, pela prática de fraudes contra investidores e sonegação de impostos.

E foi assim que os incautos perderam suas economias num jogo de pôquer cheio de blefes que se realizava nas filiais do Cassino Global vulgarmente conhecidas como "Bolsas de Valores, de Mercadorias e Futuros", as quais tem suas operações facilitadas pela crescente “integração dos mercados” através do sistema financeiro internacional, depois dos avanços tecnológicos introduzidos nas telecomunicações.

E tudo começou a ruir exatamente no sistema financeiro imobiliário que se julgava protegido por “bens de raiz”, que são os bens imóveis. Esse sistema de financiamento habitacional foi fortemente afetado pela artificial elevação dos preços de mercado efetuada pelos especuladores, que cometeram os crimes enumerados na nossa Lei 7.913/1989.

Também contribuíram para tal desmoronamento do mercado de capitais as constantes e escandalosas fraudes contábeis praticadas pelas multinacionais, capitaneadas pelos também irresponsáveis e megalomaníacos executivos das mesmas.

Veja o texto intitulado Como Quebrar uma Empresa e ainda Custo Brasil - Como Quebra uma Empresa II - Como Foi Possível Quebrar a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.

PRÓXIMO TEXTO: RISCO BRASIL X RISCO USA


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.