início > textos Ano XXII - 22 de outubro de 2020


QR - Mobile Link
DILMA ACORDOU: ESTÁ DEIXANDO DE PISAR NA BOLA

DILMA É A PRIMEIRA LÍDER MUNDIAL A OUVIR AS RUAS

DILMA ACORDOU - ESTÁ DEIXANDO DE PISAR NA BOLA

São Paulo, 02/07/2013 (Revisada em 10-07-2018)

DILMA ACORDOU: ESTÁ DEIXANDO DE PISAR NA BOLA

  1. INTRODUÇÃO
  2. O ATAQUE DOS ETERNOS OPOSICIONISTAS AO BEM-ESTAR DO POVO
  3. DESPREZANDO OS SERVIDORES PÚBLICOS
  4. BENEFICIANDO O EMPRESARIADO INESCRUPULOSO
  5. A CRÔNICA INVERSÃO DE VALORES

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFe

INTRODUÇÃO

Quando foram escritos os textos do COSIFe com o título "Dilma Está Pisando na Bola", obviamente antevia-se o que poderia acontecer. E aconteceu a desaprovação popular da Presidenta da República.

Foi o que nos mostraram as pesquisas efetuadas por entidades que muitas vezes erram ao indicarem que o eleito seria o candidato que ficou em terceiro lugar, depois de apurados os votos.

Talvez essas entidades pesquisadoras queiram agradar os "cansados de derrotas" que obviamente ficaram satisfeitos com esse tombo na popularidade da Presidenta. São os golpistas de sempre, entre eles os dos setores empresariais que se beneficiaram com a desoneração de seus custos tributários.

O ATAQUE DOS ETERNOS OPOSICIONISTAS AO BEM-ESTAR DO POVO

Independentemente do resultado das pesquisas, era fácil observar que os políticos brasileiros, principalmente aqueles que aqui no COSIFe são identificados pela alcunha de falsos representantes do povo, há mais de um século lutam para que nada seja feito pelo povo.

Esses oposicionistas ao bem-estar do Povo apenas defendem os interesses mesquinhos dos detentores do poderio econômico, porque os lobistas a serviço destes sempre abanam tentadores leques de verdinhas obtidas na ilegalidade, que depois de lavadas em paraísos fiscais, ficam guardadas em polpudas contas bancárias pelo mundo afora ou investidas em Fundos constituídos em Paraísos Fiscais, os Fundos Offshore.

Veja As Diversas Facetas dos Fundos de Investimentos.

Pelo menos as passeatas conseguiram acordar a nossa Presidenta para uma realidade que não é enxergada e nem discutida pelos economistas, aquela que envolve somente o povo em detrimento do grande capital.

A turma do COPOM - Comite de Política Monetária, para amenizar os ânimos dos capitalistas que aplicam em Títulos Públicos, na surdina, aproveitando-se do ensurdecedor barulho e da confusão reinante, imediatamente aumentou a taxas de juros, para que menor parcela dos tributos arrecadados sejam utilizados na saúde e na educação. Assim o empresariado passa a aplicar seu capital de giro em Títulos Públicos, deixando de produzir o necessário para o pleno atendimento da demanda popular. Diante disso, tal como aconteceu nas décadas perdidas de 1970 e 1980, a tendência é de aumento da inflação, porque os consumidores serão obrigados a pagar ágio para comprar o que se tornou raro por falta de produção.

DESPREZANDO OS SERVIDORES PÚBLICOS

Como a Presidenta Dilma tem desprezado os servidores públicos, obviamente por tal motivo foi vaiada no estádio de futebol em Brasília, durante a Copa das Confederações em que o Brasil mais uma vez sagou-se campeão (pela terceira vez consecutiva).

As vaias já deviam estar nas previsões da Presidenta. Afinal, Brasília é a cidade brasileira com a maior densidade populacional de funcionários públicos.

Mas, ela ainda saiu-se um pouquinho melhor que o Presidente FHC que deixou de reajustar salários durante todos os seus oito anos de governo e ainda chamou os aposentados de "Vagabundos".

Dilma chamou os funcionários governamentais de "Servidores de Sangue Azul". Talvez quisesse dizer que na nobreza oligárquica só tem pilantras. E de fato a nossa elite oligárquica sustenta uma grande horda de lobistas corruptores entre outros apadrinhados.

Durante o Governo FHC o salário mínimo chegou a ser equivalente a US$ 60 (sessenta dólares). Diante desse descaso com o Povo, obviamente os servidores estatais ajudaram a eleger Lula, principalmente os bem mais de 50% que votaram em FHC na eleição anterior.

BENEFICIANDO O EMPRESARIADO INESCRUPULOSO

Em contraposição ao descaso com os servidores, a Presidenta distribuiu importantes benesses a determinados grupos empresariais, segundo suas atividades, os quais não conseguem prosperar por sua própria conta, risco e competência.

Aliás, a competência e a honestidade são os itens mais em falta no âmbito do empresariado de grande porte, pois só consegue prosperar mediante trambiques. Os seus líderes na política (os falsos representantes do povo), assim como os dirigentes de suas associações de classe sabem muito bem disso. Mas, nenhum deles tenta mudar essa caótica situação. Pelo contrário defendem a perpetuação desse "status quo", como escreveriam os mais importantes advogados que os defendem quando são incriminados pela prática das tão rotineiras falcatruas.

A CRÔNICA INVERSÃO DE VALORES

O Wikipédia diz que "status quo" é o nome de uma banda de rock formada em 1962 na Inglaterra. E, num cantinho da página de pesquisa do Google, o Wikipédia  informa que "statuas quo" é uma abreviação da expressão latina in statu quo res erant ante bellum que designa o estado atual das coisas, seja em que momento for. O interessante é que na pesquisa feita no Google há mais destaque à banda de rock. Inversão de valores.

Aliás, a inversão de valores é o que mais se vê neste nosso mundo mais propenso ao anarquismo do que ao civismo. Afinal, a sonegação fiscal passou a ser ato disseminado por espertos consultores em planejamento tributário e o religioso pagamento de tributos passou a ser um ato de otários que não têm acesso aos paraísos fiscais e também não têm dinheiro para contratação de lobistas e de importantes consultores.

A Presidenta Dilma também utilizou-se da inversão de valores ao desprezar os servidores públicos, imediatamente beneficiando os corruptores de determinados "servidores de sangue azul" que são íntimos amigos dos lobistas contratados pelo empresariado inescrupuloso.