início > contabilidade Ano XX - 17 de junho de 2019



QR - Mobile Link
MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL

MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS (Revisado em 02-03-2018)

  1. DEFINIÇÃO
  2. PARTIDAS DOBRADAS - SIMPLES E MÚLTIPLAS
    1. Uma conta debitada e uma conta creditada
    2. Uma conta debitada e várias contas creditadas
    3. Várias contas debitadas e uma conta creditada
    4. Várias contas debitadas contra várias contas creditadas
  3. DETERMINAÇÃO DA CONTA A SER DEBITADA OU CREDITADA
    1. CONTAS PATRIMONIAIS DO ATIVO E DO PASSIVO
    2. CONTAS DE RESULTADOS - RECEITAS, CUSTOS E DESPESAS
    3. RESULTADO DO EXERCÍCIO
    4. PATRIMÔNIO LÍQUIDO VERSUS PASSIVO A DESCOBERTO
    5. CONCLUSÃO
  4. RAZONETES - EXEMPLO
  5. LANÇAMENTOS CONTÁBEIS - EXEMPLOS
  6. ESCRITURAÇÃO DO RAZÃO - EXEMPLO
  7. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - EXEMPLO

Veja também:

Veja aindaas explicações sobre:

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFe

1. DEFINIÇÃO

Para se efetuar uma partida de diário (lançamento contábil) é universalmente usado em todos os sistemas contábeis o Método das Partidas Dobradas inventado pelo frade italiano Luca Pacioli (*1445 †1517). É o método pelo qual a cada débito há um correspondente crédito de igual valor e vice-versa.

Na partida dobrada também pode existir um débito para diversos créditos cuja soma destes deve ser igual ao valor debitado. Existe a possibilidade de se ter um crédito para diversos débitos cuja soma destes deve ser igual ao valor creditado e ainda há a possibilidade da existência de diversos débitos contra diversos créditos em quantidades diferentes, quando a soma dos débitos deve ser igual a soma dos créditos.

2. PARTIDAS DOBRADAS - SIMPLES E MÚLTIPLAS

  1. Uma conta debitada e uma conta creditada
  2. Uma conta debitada e várias contas creditadas
  3. Várias contas debitadas e uma conta creditada
  4. Várias contas debitadas contra várias contas creditadas

2.1. Uma conta debitada e uma conta creditada

Exemplo: em 02/01/20X0 compra de mercadorias a vista conforme nota fiscal n. 303 da Cia. de Mercadorias $ 6.000.

No Ativo Circulante será efetuado o seguinte lançamento contábil:

Estoque de Mercadorias = $ 6.000
@ Caixa = $ 6.000

2.2. Uma conta debitada e várias contas creditadas

Exemplo: em 03/01/20X0 compra de uma máquina de calcular marca Qualquer, modelo XX, conforme nota fiscal n. 576 da Cia. de Mercadorias $ 1.500, sendo $ 500 à vista e o restante a prazo.

No Imobilizado será efetuado o seguinte lançamento contábil:

Máquinas e Equipamentos de Escritório = $ 1.500
@ Caixa = $ 500
@ Fornecedores = $ 1.000

Outra forma de se fazer o mesmo lançamento contábil com partidas simples:

Máquinas e Equipamentos de Escritório = $ 1.500
@ Fornecedores = $ 1.500

Fornecedores = $ 500
@ Caixa = $ 500

2.3. Várias contas debitadas e uma conta creditada

Exemplo: em 03/01/20X0 foi efetuado um aumento do capital social no total de $ 80.000, sendo $ 50.000 em dinheiro e $ 30.000 em mercadorias, pelos sócios José Santos e João Silva, sendo que a participação de cada um é 60% e 40% respectivamente.

Caixa = $ 50.000
Estoque de Mercadorias = $ 30.000
@ Capital Social = $ 80.000

Outra forma de se fazer o mesmo lançamento contábil, se o capital fosse subscrito para ser integralizado em data futura:

Capital a Integralizar - José Santos = $ 48.000
Capital a Integralizar - João Silva = $ 32.000
@ Capital Social = $ 80.000

Caixa = $ 50.000
Estoque de Mercadorias = $ 30.000
@ Capital a Integralizar - José Santos = $ 48.000
@ Capital a Integralizar - João Silva = $ 32.000

2.4. Várias contas debitadas contra várias contas creditadas.

Exemplo: Folha de Pagamentos: na qualidade de débitos são lançados as Despesas com Salários, Horas Extras, 13º Salário; na qualidade de créditos são lançados as deduções efetuadas dos salários que serão recolhidas ou pagas a entidades externas, como o IR-Fonte, Contribuição para INSS, mensalidade relativa à obtenção de empréstimo consignado, contribuição para Plano de Saúde, Seguro de Vida Coletivo, Contribuição Sindical, entre outras parcelas.

Débito => Despesas com Salários = $ 10.000
Débito => Horas Extras = $ 2.000
Débito => Antecipação do 13º Salário = $ 5.000
Crédito => IR-Fonte a Recolher = $ 1.000
Crédito => Contribuição para INSS a Recolher = $ 1.000
Crédito => Plano de Saúde a Pagar = $ 500
Crédito => Seguro de Vida em Grupo a Pagar = $ 300
Crédito => Contribuição Sindical a Pagar = $ 200
Crédito => Empréstimo Consignado a Pagar = $ 1.500
Crédito => Salários a Pagar = $ 13.000

Observe que a soma dos débitos (10.000 + 2.000 + 5.000 = 17.000) deve ser igual a soma dos créditos (1.000 + 1.000 + 300 + 200 + 1.500 + 13.000 = 17.000).

Outra forma de fazer o Mesmo lançamento contábil:

Despesas com Salários = $ 10.000
Horas Extras = $ 2.000
Antecipação do 13º Salário = $ 5.000
@ Salários a Pagar = $ 17.000

Salários a Pagar = $ 4.000
@ IR-Fonte a Recolher = $ 1.000
@ Contribuição para INSS a Recolher = $ 1.000
@ Plano de Saúde a Pagar = $ 500
@ Seguro de Vida em Grupo a Pagar = $ 300
@ Contribuição Sindical a Pagar = $ 200
@ Empréstimo Consignado a Pagar = $ 1.500

Neste novo exemplo pode ser verificado que a conta Salários a Pagar também ficou com o saldo credor de $ 13.000.

3. DETERMINAÇÃO DA CONTA A SER DEBITADA OU CREDITADA

  1. CONTAS PATRIMONIAIS DO ATIVO E DO PASSIVO
  2. CONTAS DE RESULTADOS - RECEITAS, CUSTOS E DESPESAS
  3. RESULTADO DO EXERCÍCIO
  4. PATRIMÔNIO LÍQUIDO VERSUS PASSIVO A DESCOBERTO
  5. CONCLUSÃO

3.1. CONTAS PATRIMONIAIS

  1. ATIVO = SALDO DEVEDOR (Bens, Direitos ou Contas a Receber e Valores)
  2. PASSIVO = SALDO CREDOR (Obrigações ou Contas a Pagar e Patrimônio Líquido)

Portanto, se o saldo da conta é devedor, significa que uma ou mais entidades ou pessoas devem aquela importância à entidade cujo balanço ou balancete está sendo analisado.

Se o saldo da conta é credor, a entidade que se está analisando tem a obrigação de pagar aquele valor a entidade externa credora.

Informações mais detalhadas estão nos parágrafos  a seguir.

3.1.1. CONTAS PATRIMONIAIS DO ATIVO

As contas patrimoniais do ATIVO serão devedoras porque representam dívidas de terceiros (Direitos da Entidade sob análise). Ou seja, os saldos devedores no Ativo representam os valores que entidades ou pessoas devem à entidade jurídica que se está processando a contabilidade. Estas são as Contas a Receber.

A conta Caixa, que representa a disponibilidade em dinheiro da Entidade sob análise, também representa dívida de uma pessoa que é o Tesoureiro. Isto é, o Tesoureiro deve à entidade o saldo contido na conta Caixa. Ou melhor, o tesoureiro deve à entidade o saldo em dinheiro que lhe foi confiado. Em tese, a ele foi entregue determinada quantia para ser administrada (controlada). Os acréscimos ou decréscimos do saldo da conta Caixa devem ser comprovados mediante a apresentação de documentos hábeis.

O mais simplório lançamento contábil ou o primeiro lançamento contábil acontece na constituição de uma empresa, pelo dinheiro recebido dos seus sócios ou do seu titular:

Débito => Caixa
Crédito => Capital

OU

Caixa
@ Capital

Por quê?

Porque o Tesoureiro (o Caixa) deve para a empresa o dinheiro recebido (a ele confiado). Assim sendo, o dinheiro confiado ao Tesoureiro é uma "Conta a Receber" pela Empresa. As Contas a Receber significam dívidas ou débitos de terceiros.

Por sua vez, a empresa deve aos seus cotistas ou acionistas o Capital por eles empreendido (investido). Assim sendo, o Capital recebido é uma "Conta a Pagar" aos sócios no caso de encerramento das atividades da empresa. As Contas a Pagar significam créditos de terceiros.

Desse modo, os débitos ficam no Ativo e os créditos ficam no Passivo.

Se a importância entregue ao Tesoureiro for muito alta, ele pode depositá-la num Banco, quando será efetuado o seguinte lançamento contábil:

Banco
@ Caixa

OU

Débito => Banco
Crédito => Caixa

Isto significa que o banco passou a ser o devedor da importância a ele confiada. Por sua vez, foi diminuída a importância em dinheiro confiada ao Caixa (o Tesoureiro).

O mesmo raciocínio lógico será utilizado para contabilização dos Equivalentes de Caixa que são as aplicações em moedas estrangeiras (somente moeda circulante = dinheiro no seu estado físico = moeda metálica ou papel moeda), investimentos em títulos de negociação ou liquidação imediata (como os títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional) e ouro (ativo financeiro, negociado nas bolsas de mercadorias).

Então, até agora foram definidas as Disponibilidades (dinheiro e os equivalente de caixa).

Entre os Valores estão os demais investimentos em títulos e valores mobiliários que não sejam de fácil realização de um dia para outro. Isto é, Valores são aqueles que não possam ser realizados (vendidos ou negociados) no dia seguinte (overnight).

Em seguida estão os Bens. Entre os Bens estão os Estoques para negociação (venda), os Estoques necessários à manutenção do empreendimento (despesas pagas antecipadamente) e os Ativos Permanentes, entre eles o Imobilizado de Uso. São Bens de produção aqueles que permitem o prosseguimento das operações empresariais.

No momento da compra dos Estoques de mercadorias para revenda, será efetuado o lançamento:

Estoque de Mercadorias para Revenda
@ Fornecedores (compras a prazo)

OU

Estoque de Mercadorias para Revenda
@ Caixa (compras à vista)

Nas hipóteses em questão, o Fornecedor ficou credor porque não recebeu imediatamente a importância em dinheiro correspondente a sua mercadoria vendida.

Quando for efetuado o pagamento da compra a prazo, será feito o lançamento:

Fornecedores
@ Caixa (quando o pagamento for efetuado em dinheiro)
@ Bancos (quando o pagamento for efetuado em cheque ou boleto bancário)

As contas do Ativo Permanente (Bens Patrimoniais da Entidade sob análise) representam os investimentos em outras entidades (que se tornam devedoras) e os bens de produção. Tanto os investimentos como os bens de produção (tangíveis ou intangíveis) são os primeiros garantidores do Patrimônio Líquido. Os Bens de Produção são distribuídos nas dependências da entidade e são colocadas sob a guarda e responsabilidade das chefias das diversas seções, divisões, departamentos ou filiais.

Os lançamentos contábeis são semelhante aos relativos às compras para o Estoque:

Imobilizado de Uso
@ Caixa (compras à vista)
@ Fornecedores (compras à prazo)

Ainda no Ativo, a conta Despesas Pagas Antecipadamente possuirá os saldo de despesas que serão rateadas por exercícios futuros em obediência ao Regime de Competência. Essas importâncias pagas antecipadamente também se constituem em dívidas de terceiros enquanto o contratado estiver sendo realizado, como por exemplo os contratos de seguro.

Débito => Estoques de Materiais de Reposição
Débito => Despesas Pagas Antecipadamente
Crédito => Caixa (compras à vista)
Crédito => Fornecedores (compras a prazo)

Quando for utilizado algum dos materiais de reposição, será lançado:

Despesas de Manutenção
@ Estoque de Materiais de Reposição

Quando for efetuada a venda de alguma das mercadorias existentes em Estoque, será lançado:

Clientes - Contas a Receber
@ Receitas de Venda de Mercadorias

Custo das Mercadorias Vendidas
@ Estoque de Mercadorias para Revenda

Quando o Cliente efetuar o pagamento de sua dívida, será lançado:

Caixa
@ Cliente - Contas a Receber

Isto é, o Cliente será creditado pela liquidação de seu débito (pagamento de sua dívida) e o Caixa (o Tesoureiro) será debitado pela importância recebida do Cliente, que ficará sob sua guarda.

Existem outras variações para os lançamentos simploriamente demonstrados. Mas, isto será melhor explicado no decorrer do aprendizado.

3.1.2. CONTAS PATRIMONIAIS DO PASSIVO

As contas patrimoniais do PASSIVO serão credoras porque representam saldos de credores externos (terceiros ou entidades externas).

O saldo contabilizado como Patrimônio Líquido é credor por representar os créditos de acionistas ou cotista, investimentos por eles efetuados em ações ou cotas de capital da entidade que se está analisando.

Veja a seguir informações sobre PASSIVO A DESCOBERTO (saldo devedor).

3.2. CONTAS DE RESULTADOS

  1. RECEITAS = SALDO CREDOR
  2. CUSTOS = SALDO DEVEDOR
  3. DESPESAS = SALDO DEVEDOR

Raciocínio semelhante ao explicado nesta página acontece com as Receitas e Despesas.

As Receitas são créditos e os Custos e as Despesas são débitos.

As contas relativas às RECEITAS, as relativas aos CUSTOS  e as relativas às DESPESAS em cada um dos Exercícios Sociais ou Fiscais mostrarão as alterações que serão efetuadas no PATRIMÔNIO LÍQUIDO. Por isso são chamadas de CONTAS DE RESULTADO Credoras ou Devedoras.

Os Resultados Positivos (credores ou lucros) aumentarão o Patrimônio Líquido.

Os Resultados Negativos (devedores ou prejuízos) reduzirão o Patrimônio Líquido.

Veja explicações sobre a diferença entre Exercício Social e Exercício Fiscal nas NOTAS colocadas logo abaixo do artigo 175 da Lei 6.404/1964 (Lei das Sociedades por Ações).

3.3. RESULTADO DO EXERCÍCIO

Resultado Positivo = Lucro (Saldo credor = Receitas menos Custos menos Despesas)

Quando o Resultado do Exercício tiver saldo credor [Receita > (custo + despesa)] significará que a entidade que se está analisando teve LUCRO, que será acrescido ao PATRIMÔNIO LÍQUIDO. Observe que o saldo credor do Lucro aumenta o saldo credor do Patrimônio Líquido.

Resultado Negativo = Prejuízo (Saldo devedor)

Quando o Resultado do Exercício apresentar saldo devedor [Receita < (custo + despesa)] significará que a entidade teve PREJUÍZO, que será deduzido do seu PATRIMÔNIO LÍQUIDO. Observe que o saldo devedor do Prejuízo diminui o saldo credor do Patrimônio Líquido.

Veja também Demonstração do Resultado do Exercício.

3.4. PATRIMÔNIO LÍQUIDO VERSUS PASSIVO A DESCOBERTO

A ocorrência de prejuízos em diversos exercícios sociais ou fiscais poderá resultar em perecimento total do Patrimônio Líquido (deixado de ter saldo credor = apresentando saldo devedor). Se isto acontecer o Patrimônio Líquido passa a ser denominado como PASSIVO A DESCOBERTO.

3.5. CONCLUSÃO

Para se entender perfeitamente quem deve ser debitado e creditado é preciso ter em mente que em contabilidade sempre tem no mínimo um devedor e um credor. E em meio a essas duas pessoas está o administrador ou titular da empresa. Mas, antes é preciso atentar para um pequeno detalhe. Quando em contabilidade se está falando em Caixa, não significa que seja uma caixa onde é guardado o dinheiro. Na verdade está se falando do Sr. Caixa, o Tesoureiro. Por isso, quando se entrega algum dinheiro para o tesoureiro guardar, sob sua responsabilidade, dizemos que está se debitando o Caixa (o Tesoureiro). Ou seja, o Tesouro, ao lhe ser confiado o dinheiro, passou a ser um dos devedores da empresa.

Baseados nessa premissa, quando é constituída uma empresa o dinheiro recebido dos sócios, para integralização de sua participação na sociedade, é creditado a cada um deles na conta CAPITAL e é debitado ao CAIXA (o Tesoureiro), porque os valores recebidos dos sócios lhes foram entregues para guarda e posterior utilização diante das necessidades da empresa.

Toda vez que debitarmos uma conta, estará ocorrendo uma das seguintes situações:

  • Entrada de Recursos Financeiros em Caixa ou em Bancos
  • Aquisição de direitos para o Ativo
  • Aquisição de bens materiais para o Ativo
  • Quitação de obrigações constantes do Passivo
  • Registro de uma despesa

Toda vez que creditarmos uma conta, estará ocorrendo uma das seguintes situações:

  • Saída de Recursos Financeiros de Caixa ou de Bancos
  • Constituição de obrigações no Passivo
  • Cessação ou resgate de direitos constantes do Ativo
  • Saída ou baixa de bens materiais constantes do Ativo
  • Registro de uma receita

4. RAZONETES

De forma simplificada, os razonetes podem ser representados por um"T", onde na coluna da esquerda ficam os lançamentos a débito e na coluna da direta os lançamentos a crédito. Na parte superior do "T" fica o nome da conta.

NOME DA CONTA
DÉBITO CRÉDITO
Valor
Valor
Valor
Valor
Total Devedor Total Credor
Saldo = Débito - Crédito

A diferença entre o total dos débitos e o dos créditos feitos em uma conta em determinado período é denominada SALDO. Este poderá ser devedor (DV) ou credor (CR). O saldo credor também pode ficar entre parênteses ou com sinal menos na sua frente.

Se a soma dos débitos efetuados for maior que a soma dos créditos, a conta terá saldo DEVEDOR, caso ocorra o contrário, a conta terá saldo CREDOR.

Nota: além do nº de Identificação do documento, do lançamento contábil a débito ou a crédito, com o saldo da conta, o Razão também deve ter o histórico do lançamento contábil.

Veja mais detalhes em Livro Razão. Veja também Livro Diário e Livro de Balancetes Diários e Balanços.

5. LANÇAMENTOS CONTÁBEIS - EXEMPLOS

Com base no lançamentos contábeis a seguir, logo em seguida será explicado o que conterão os razonetes de cada uma das contas movimentadas.

(1) Compra de Mercadorias por $ 6.000 com pagamento à vista

Débito - Mercadorias = $ 6.000
Crédito - Caixa = $ 6.000

(2) Compra  Móveis e Utensílios por $ 1.500, sendo pago $ 500 à vista e $ 1.000 a prazo.

Débito - Móveis e Utensílios = $ 1.500
Crédito - Caixa = $ 500
Crédito - Fornecedores = $ 1.000

(3) Integralização de Capital, sendo $ 50.000 em dinheiro e $ 30.000 em Mercadorias

Débito - Caixa = 50.000
Débito - Mercadorias =  $30.000
Crédito - Capital = $ 80.000

(4) Depósito de $40.000 de parte do saldo em Caixa num Banco.

Débito - Bancos = $ 40.000
Crédito - Caixa - $ 40.000

6. ESCRITURAÇÃO DO RAZÃO - EXEMPLO

Exemplo de Razonetes (com identificação numérica dos lançamentos enumerados acima):

MERCADORIAS CAIXA MÓVEIS E UTENSÍLIOS
Débito Crédito Saldo Débito Crédito Saldo Débito Crédito Saldo
(1)

 

(3)

6.000

 

30.000

6.000

 

 

36.000

(1)

(2)

(3)

(4)

 

 

50.000

6.000

500

 

40.000

(6.000)

(6.500)

43.500

3.500

 

(2)

 

1.500

 

 

 

1.500

Nota: Além do nº de Identificação do documento, do lançamento contábil a débito ou a crédito, com o saldo da conta, o Razão também deve ter o histórico do lançamento contábil.

FORNECEDORES CAPITAL BANCOS
Débito Crédito Saldo Débito Crédito Saldo Débito Crédito Saldo

(2)

 

1.000

 

 

(1.000)

 

(3)

 

 

 

 

80.000

 

 

(80.000)

 

 

(4)

 

 

40.000

 

 

 

40.000

7. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - EXEMPLO

CONTAS DEVEDORAS VALOR CONTAS CREDORAS VALOR
CAIXA 3.500 FORNECEDORES 1.000
BANCOS 40.000 CAPITAL 80.000
MERCADORIAS 36.000    
MÓVEIS E UTENSÍLIOS 1.500    
TOTAL 81.000 TOTAL 81.000

(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.