início > textos Ano XXII - 2 de dezembro de 2020


QR - Mobile Link
O QUE O LEITOR NÃO SABE SOBRE GOVERNO PARALELO

O SISTEMA FINANCEIRO LEVA NOSSA ECONOMIA PARA O BURACO

APESAR DA INTERNET, AINDA EXISTE MUITA GENTE DESINFORMADA

São Paulo, 30/06/2015 (Revisada em 09-11-2020)

O QUE O LEITOR NÃO SABE SOBRE GOVERNO PARALELO

Assim como o leitor de Carta Maior citado no tópico anterior, muitos leitores do COSIFE também não acreditam na existência de um Governo Paralelo no Brasil. No entanto, ele de fato existe.

1. O Governo Paralelo não existe de direito porque em tese só pode governar quem for eleito pelo Povo

Contudo, os inimigos do Brasil, que no Congresso Nacional são falsos representantes do Povo brasileiro, agem somente em proveito de seus verdadeiros patrões, que são os detentores do Poderio Econômico.

O pior, é esse grupo de Falsos Representantes do Povo sempre estará a serviço de seus Inescrupulosos Patrões. Mas, o Povo continua votando neles. Esses falsos representantes do Povo são os que de fato governam e sorrateiramente continuarão agindo mesmo depois de descobertos e apontados por outras operações como a "Java-Jato".

Em síntese, os pilantras de sempre continuarão governando de forma paralela enquanto houver a Independência do Banco Central e das Agências Nacionais Reguladoras e enquanto não forem punidos pela prática de Fraudes em Licitações Públicas, que também aconteceram durante as Privatizações levadas a efeito na década de 1990.

A Privatização das Empresas Estatais foi criminosa porque o Povo não podia comprar as ações falsamente "leiloadas" e abocanhadas por meia dúzia de privilegiados "investidores" brasileiros, disfarçados como estrangeiros que têm empresas fantasmas em paraísos fiscais. Isto significa que recebemos um falso "capital estrangeiro" que na realidade é oriundo da Lavagem de Dinheiro obtido ilegalmente (não tributado no Brasil), conforme direta ou indiretamente nos foi demonstrado pela CPI do Banestado.

As pormenorizadas explicações estão nas respostas às seguintes questões:

2. Por que a Presidenta Dilma Russeff foi obrigada a fazer o tal Ajuste Fiscal?

O Ajuste Fiscal foi feito especialmente para conseguir o dinheiro necessário ao pagamento dos altos juros da Dívida Pública estabelecidos pelo COPOM - Comitê de Política Monetária.

Em suma, como dizem os propagadores do Risco Brasil, o Ajuste Fiscal foi feito para que os investidores nacionais e internacionais (colecionadores de dinheiro) tenham mais confiança no Brasil. Porém, há o grande risco de os altos juros fixados pelo COPOM nos levarem à falência (bancarrota). Justamente os ditos investidores internacionais são os que inegavelmente apoiam os tais oposicionistas ao governo federal.

É fácil verificar que 99% dos empresários de micro, pequeno, médio e grande portes apoiam aqueles que se dizem oposicionistas aos governantes brasileiros desde 2003. São oposicionistas por mero preconceito racial ou por mera discriminação social.

Tais empresários agem sempre de forma contrária aos interesses trabalhadores. Tais empresários querem ter os trabalhadores como escravos (sem direitos trabalhistas e previdenciários).

3. Por que Dilma não vetou o aumento da taxa de juros e nada fez contra os aumentos de preços dos serviços públicos prestados pelas empresas privatizadas?

Não vetou porque não tem poder para isso.

A tal autonomia do Banco Central dá poder absolutista e ditatorial aos seus dirigentes. Poder este que não é atribuído à Presidência da República. O mesmo poder conferido ao Banco Central também foi atribuído ou dado às Agências Nacionais Reguladoras criadas depois das privatizações ocorridas na década de 1990.

Logo, sabendo-se que os dirigentes dessas Agências são os representantes dos empresários ("investidores") de cada um daqueles setores operacionais, eles podem fazer o que bem quiserem.

E, ninguém tem o poder de impedi-los. Nem as forças armadas. Salvo se houver novo Golpe Militar. Talvez por esse motivo existam pessoas favoráveis a um novo Golpe Militar. Entretanto, alguns acham que os defensores do Golpe sejam os contrários à abertura (ao público) dos arquivos secretos deixados pelo Regime Militar iniciado em 1964.

4. Para quem os juros serão pagos pelo Governo Brasileiro?

Tanto os juros pagos pelo governo brasileiro como os juros pagos pelo Povo são absorvidos pelos incógnitos detentores do poderio econômico.

Cerca de 20 mil investidores (pessoas físicas e jurídicas) detém quase 80% dos títulos emtidos no Brasil e também pelos bancos. Então, para que esses 20 mil continuem enriquecendo é preciso tirar do Povo que veio empobrecendo desde 1964.

Durante o segundo mandato do Governo FHC, o Brasil tinha o mesmo índice de desemprego enfrentado pelos países do sul europeu desde 2011.

Essa desgraça econômica imposta pelos monetaristas (neoliberais), mediante a máxima exploração da população menos afortunada, não está ocorrendo somente no Brasil. Acontece no mundo inteiro desde a antiguidade, passando pela Idade Média, quando predominava o Feudalismo.

O problema do nosso Povo é que aqui os pobres pagam para os banqueiros juros tão altos como pagariam para os antigos agiotas. Dessas forma a poupança popular paulatinamente migra para os bolsos dos mais ricos.

Depois dos descobrimentos marítimos iniciados em 1492, como os governantes europeus passaram a tirar tudo que era possível de suas colônias, entre elas o Brasil, o povo europeu teve relativo progresso. Contudo, esse progresso social foi interrompido pelos planos de austeridade popular implantados depois da Crise Mundial de 2008.

Essa crise de gerou a bancarrota dos países desenvolvidos foi provocada pelos neoliberais anarquistas que representam os interesses mesquinhos dos magnatas escondidos em paraísos fiscais.

5. Por que sempre dizem que o Povo paga a conta?

Porque os juros pagos pelo governo aos capitalistas são tirados dos tributos pagos pelo Povo.

De outro lado, são justamente os capitalistas e os grandes empresários os principais sonegadores de tributos.

Esses sonegadores de tributos agem com o auxílio de lobistas e de consultores em planejamento tributário e ainda com o auxílio dos falsos representantes do Povo no Congresso Nacional. Transferem seus respectivos patrimônios para empresas fantasmas constituídas em paraísos fiscais.

Em razão de seus impatrióticos procedimentos (incluindo a corrupção e a sonegação fiscal por meio da lavagem de dinheiro), os falsos representantes do Povo no Congresso Nacional podem ser considerados como verdadeiros Inimigos do Brasil.

6. Por que o Congresso Nacional não aprova leis para impedir que os juros sejam aumentados sem a autorização da Presidência da República?

Porque foram justamente esses representantes dos capitalistas no Congresso Nacional que aprovaram a legislação que dá plenos poderes às Agências Nacionais Reguladoras.

E, entre essas Agências que agem somente em benefício dos empresários e dos demais capitalistas, também estão as antigas "agências" que têm a denominado de Banco Central do Brasil, CVM - Comissão de Valores Mobiliários, SUSEP - Superintendência de Seguros Privados e todas as outras criadas durante as privatizações feitas no Governo FHC.

Para infelicidade geral da Nação, as leis sancionadas pelos nossos presidentes anteriores a 2003 estabeleceram que as decisões tomadas pelos dirigentes das mencionadas Agências Reguladoras não podem ser questionadas, pois estão acima das decisões que deveriam ser tomadas pelos Três Poderes da República (Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário).

Portanto, tais Agências Reguladoras tornaram-se Governos Paralelos ditatoriais (totalmente absolutistas) que agem somente em proveito do empresariado dos segmentos operacionais por elas regulados. Logo, o Povo que se dane.

Por isso, está havendo a alta inflação que mais afeta a população das classes sociais "C", "D" e "E", chamadas de classes inferiores pelos preconceituosos e discriminadores.

As classes "A" e "B", praticamente não são afetadas pela artificial inflação reinante.

PRÓXIMO TEXTO: COMO OS MAIS RICOS APROVEITAM-SE DA FORÇA DE TRABALHO


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.