início > textos Ano XXII - 21 de outubro de 2020


QR - Mobile Link
QUEREMOS A REDUÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS

DILMA É A PRIMEIRA LÍDER MUNDIAL A OUVIR AS RUAS

DILMA ACORDOU - ESTÁ DEIXANDO DE PISAR NA BOLA

São Paulo, 02/07/2013 (Revisada em 10-07-2018)

QUEREMOS A REDUÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFe

No exemplo apresentado na página anterior, em que está o texto denominado O Movimento Passe Livre e a Desoneração do Empresariado, a soma do aumento dos Gastos Públicos com essa citada desoneração do empresariado chegaria próxima dos R$ 100 bilhões anuais em 2013.

Para quem não consegue entender o porquê dessa afirmativa, tal como nitidamente não entendem os dirigentes do Movimento Passe Livre, torna-se preciso dizer que toda essa dinheirama necessária ao Passe Livre seria um NOVO GASTO PÚBLICO só com o transporte coletivo. Para isso seria preciso o aumento da tributação sobre os mais ricos sonegadores de tributos que fazer a Blindagem Fiscal de seu Patrimônio em Paraísos Fiscais.

Na verdade os empresários não têm motivos para reclamar porque os seus gastos com o Vale-Transporte e todos os seus custos operacionais devem (e obviamente são) repassados para o consumidor. Sem esse aumento dos preços que devem ser pagos pelos consumidores, as empresas de modo geral chegariam à falência. E, para que o Brasil não ficasse parado no tempo, em razão dessas falências encadeadas, seria necessária a estatização de todas as empresas falidas tal como fizeram os nossos governantes durante o Regime Militar iniciado em 1964 e como também fez Getúlio Vargas no Brasil e Franklin Roosevelt nos Estados Unidos (depois da Crise de 1929) razão pela qual aquele país transformou na grande potência mundial demonstrada na Segunda Guerra Mundial.

Enquanto esse movimento enganador acontecia, muita gente repetia o que vem dizendo (há anos): Devem ser reduzidos os GASTOS PÚBLICOS e deve ser reduzida a Máquina Estatal. É preciso que tenhamos o Estado Mínimo.

Mas, nenhum desses analfabetos funcionais reclama do único gasto público realmente exorbitante que nem os Congressistas tentam reduzir porque os corruptos (2/3 do Poder Legislativo = falsos representantes do Povo) estão entre os principais beneficiários dessa dinheirama desperdiçada. Entre esses corruptos inegavelmente estão todos aqueles que têm contas fantasmas em Paraísos Fiscais (são pelo menos 370 indivíduos que têm uma infinidade de comparsas).

Trata-se do pagamento dos altos juros pagos a pouco mais de 30 mil capitalistas que são detentores de pelo menos 80% de todos títulos públicos emitidos. E os inegáveis culpados desses gastos públicos desnecessários são os membros do COPOM - Comitê de Política Monetária.

Pergunta-se: Se já faltam recursos para a saúde e para educação, onde as prefeituras conseguiriam tanto dinheiro para o Passe Livre?

Com certeza os militantes do Movimento Passe Livre não pensaram no que foi exposto. Jesus Cristo diria: Perdoai-vos, eles não sabem o que fazem!

Nos mais de 700 municípios em que não existem hospitais e ambulatórios, os periódicos acampamentos do Exército Brasileiro fazem falta. Eles foram utilizados na cidade do Rio de Janeiro para atendimento aos pacientes, devido ao caos na saúde deixado acontecer pelo prefeito César Maia (DEM). O fato foi bastante no noticiado naquela época.

Nesses mencionados 700 municípios os Prefeitos têm o chamado "ônibus da madrugada" que leva os seus enfermos aos municípios que tenham melhor sistema de saúde pública.

Claro que os prefeitos destes outros municípios que atendem aqueles enfermos reclamam que seus gastos públicos são onerados pelos municípios carentes da vizinhança.

Por sua vez, a população deste último também reclama da superlotação dos hospitais e ambulatórios, porque em razão das deficiências dos outros municípios não têm o atendimento que merecem. Isto geralmente acontece nas capitais estaduais e nos municípios mais populosos.

Do outro lado da questão, os prefeitos dos municípios sem assistência à saúde pública alegam que de nada adianta construir ambulatórios e hospitais porque os profissionais da saúde não querem trabalhar lá naquele fim de mundo.

Veja explicações sobre o ônibus da madrugada no texto Os Prefeitos São os Principais Culpados pelo Caos na Saúde Pública.

E tudo que aqui foi descrito está na Internet. Os usuários das redes sociais que programas as passeatas têm condições de acessar.

Essa desoneração do empresariado do comércio, da indústria e dos serviços reivindicada pelo Movimento Passe Livre obviamente vai onerar o Povo, que será obrigado a pagar mais impostos para que o empresariado tenha mais lucros.

Por isso, o tal Movimento do Passe Livre teve o apoio da CNI - Confederação Nacional da Indústria, cujo presidente também tem o mesmo cargo na FIESP - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. E outras associações da classe empresarial também apoiaram o dito Movimento.

Este é um simplório exemplo de como faz falta a consultoria de um Contador especializado na Contabilidade de Custos.

Leia também: DILMA RECEBEU OS REPRESENTANTES DO MOVIMENTO PASSE LIVRE