início > textos Ano XX - 18 de março de 2019



QR - Mobile Link
PREPARANDO O GOLPE DE ESTADO

PREPARANDO O GOLPE DE ESTADO

OS AJUSTES FISCAIS PARA REDUÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS

São Paulo, 05/03/2015 (Revisado em 27-05-2015)

Referências: A Nova Ordem Mundial comandada pelos Magnatas controladores das Multinacionais - CARTEL, Fraudes Contábeis e Financeiras, Paraísos Fiscais, Países Desenvolvidos versus BRICS, Dilma Está Pisando na Bola, Empresários versus Trabalhadores - Principais Consumidores, Contabilidade de Custos - Ajustes Fiscais para Redução dos Gastos Públicos.

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

DILMA NÃO RESISTIRÁ À PRESSÃO DA MÍDIA

Diante das tentativas de manipulação da opinião pública percebidas pelos mais atentos internautas durante a campanha à Presidência da República em 2014, seria fácil imaginar que, se Dilma fosse reeleita, o ano de 2015 seria destinado pelos opositores ao Governo Central à preparação de um Golpe de Estado (Branco), sem o uso das forças armadas. Por várias vezes esse mesmo tipo de Golpe contra as instituições democráticas foi tentado durante o Governo Lula.

Os opositores ao Governo Dilma vêm tentando manipular a opinião pública no sentido de que seja aceito um provável Golpe de Estado com assunção do vice-presidente que imediatamente seria apoiado pelo PSDB e pelos demais partidos políticos aliados ele. Isto tem sido observado no dia a dia por muitas pessoas neste ano de 2015.

Alysio Nunes, do PSDB, declarou: "Quero ver a Dilma sangrar", segundo noticiou a Record News durante o Programa JR News conduzido por Heródoto Barbeiro. A notícia também foi veiculada por vários jornais.

A mais comum de todas as formas de convencimento da população é feita por meio de uma "lavagem cerebral" em que os meios de comunicação controlados pela nossa antiga oligarquia escravocrata apresenta como notícia somente aquilo que o Povo pode ou deve saber, escondendo na maioria das vezes a verdade dos fatos.

Um médico chegou a dizer para um paciente: Precisamos tirar aquela vaca do governo. Só porque ela contratou os médicos cubanos.

Um dentista mencionou algo parecido: Neste ano temos que tirar a Dilma do Governo.

Ou seja, os extremistas de direta (preconceituosos e discriminadores) estão desesperados. Querem destruir o Brasil, tal como também querem os governantes norte-americanos e europeus.

Tal como fez Carlos Lacerda (UDN) contra Getúlio Vargas (PTB) na década de 1950, Dilma não resistirá à pressão da Mídia Oligárquica aliada ao PSDB.

A BEM DA VERDADE, DILMA VEM PISANDO NA BOLA

Considerando-se que Dilma vem pisando na bola, conforme foi mencionado e explicado em vários textos publicados neste COSIFE, fica difícil defendê-la quando desonera empresários inescrupulosos, prejudicando o orçamento da Previdência Social e gerando perda ao Tesouro Nacional superior a R$ 20 bilhões, enquanto em 2015 veta um reajuste maior da tabela do imposto de renda incidente sobre os proventos dos trabalhadores.

Desse modo, só em 2015 os trabalhadores com maiores salários, incluindo os políticos e os servidores públicos, pagariam R$ 7 bilhões a mais de imposto de renda, sabendo-se que, obviamente, salário não é renda, é provento indispensável para a sobrevivência digna.

De outro modo, isto é, pelo seu lado louvável, Dilma tem provocado a ira da nossa elite oligárquica (raça pura) e de seus "puxa sacos" (nobres serviçais), que sempre prestaram excelentes serviços às potências hegemônicas e agora também os prestam aos magnatas controladores das multinacionais sediadas em paraísos fiscais.

Vejamos as explicações.

O GRANDE MAL COMETIDO POR DILMA

O grande mal cometido por Dilma foi o de desafiar os governantes dos países desenvolvidos. Os tratou como grã-finos arruinados, falidos, na bancarrota, esmolando por matérias-primas que não possuem. Faz algum tempo, declarou em sua visita à Espanha que o Brasil não seria eternamente um mero doador de matérias-primas para a Europa.

Passando da teoria à prática, Dilma prometeu subscrever e integralizar significativa parcela dos US$ 200 bilhões estabelecido como capital necessário para constituição do Banco de Desenvolvimento dos BRICS (veja explicação sobre a sigla mais adiante).

Pior. Os países participantes do grupo denominado BRICS resolveram criar uma nova moeda, realmente forte, em substituição ao dólar como padrão monetário, o que também prejudicaria o Euro.

Diante desse hilariante parágrafo anterior, os brasileiros com aquele irreversível complexo de vira-latas devem ter sorrido sarcasticamente porque consideram a nossa moeda como fraca.

Porém, principalmente a partir de 2003, a moeda brasileira tornou-se realmente forte, porque está lastreada em Reservas Monetárias, que antes de 2003 o Brasil nunca teve.

Até 2005 o nosso País só tinha dívidas, razão pela qual era sempre fiscalizado pelo FMI - Fundo Monetário Internacional, principalmente durante o Governo FHC.

Por que a moeda dos BRICS seria uma moeda mais forte que o dólar e o euro?

Porque aquelas duas antigas moedas não têm lastro em reservas monetárias nem em produtos exportáveis.

Ao contrário do que vem acontecendo com os países desenvolvidos, que amargam uma quase irreversível falência econômica, os BRICS, além de terem a metade da população mundial ávida por trabalho e melhor sobrevivência (melhor padrão de vida), também têm as maiores jazidas de minérios, entre outros recursos mensuráveis que os países desenvolvidos não têm.

Por isso, os governantes daqueles países falidos estão tentando jogar a opinião pública contra os BRICS para que, mediante Golpes de Estado, neles sejam colocados governantes devidamente subornados pelas multinacionais.

Essa é a NOVA ORDEM MUNDIAL, comandada pelos magnatas controladores das transnacionais ou multinacionais a partir de paraísos fiscais. Com o passar do tempo desde a década de 1990, tais magnatas vêm formando um gigantesco CARTEL explorador de marcas e patentes com ramificações em todo o mundo. Veja exemplo no endereçado texto sobre os cartéis.

O ATAQUE INTERNACIONAL AOS BRICS

As bolas da vez nesse obscuro jogo de bilhar são os BRICS.

No terreno da economia mundial, os BRICS (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) vêm sendo apresentados de forma difamatória. São considerados como países que o Primeiro Mundo deve combater, assim como estão sendo combatidos os islâmicos e todos os migrantes chegados à Europa e aos Estados Unidos. Todos terroristas.

Assim voltam à tona aquelas velhas frases tal como: precisamos aniquilar a Rússia porque tem Armas Atômicas, o Brasil porque não é País Sério e tem grande influência sobre a América Latina, a China porque é Comunista, a Índia porque explora a Pobreza e a África do Sul porque é a Terra do Apartheid e os negros estão se tornando importantes.

Essa manipulação da opinião pública também está acontecendo com os povos daqueles países do Primeiro Mundo, ainda chamados de países desenvolvidos ou hegemônicos, que colonizaram ou promoveram o neocolonialismo nos países do Terceiro Mundo.

Nos USA, por exemplo, o povo ainda acredita que seus governantes estão protegendo o mundo de uma invasão comunista ou de terroristas islâmicos ou palestinos. Até parece que uma simples bomba como a lançada em Hiroshima não seria capaz de acabar pelo menos com os islâmicos ou com os palestinos. Mas, o governo dos States não pode acabar com eles, porque não mais teria de quem proteger o mundo. Só restaria o Irá e a Coreia do Norte. Talvez a Somália com seus piratas.

Depois que no Brasil a Constituição Federal de 1998 permitiu a eleição de comunistas, socialistas e muitos outros danosos à paz mundial como são os sindicalistas e os demais esquerdistas, todos os eleitores perceberam que eles nunca foram ameaça a ninguém. Afinal, foi tão fácil acabar com a União Soviética (URSS). Bastou subornar seus dirigentes daquela época.

Alguns brasileiros manipulados pela mídia mercenária, incluindo a quase totalidade da nossa elite oligárquica (Classe A), nesse rol incluindo-se os seus mais abalizados serviçais (Classe B), sempre demonstram seu incrustado complexo de vila-latas ao dizerem que "eles são ricos e nós somos pobres", "o Chocolate suíço é melhor que o brasileiro" (na realidade o chocolate suíço é brasileiro ou africano), todo produto importado é melhor que o feito no Brasil, e assim por diante.

Muitos elementos das classes sociais inferiores (Classes "C" e "D") repetem os mesmos jargões. Sempre repetem o que estão cansados de ouvir de seus patrões e de falsos amigos já doutrinados pela extrema-direita.

A VERDADE SOBRE A NOSSA HISTÓRIA ECONÔMICA

Para tais indivíduos derrotistas o coordenador do COSIFE tem dito: Você está esquecendo de alguns detalhes importantes sobre a nossa história econômica. Vejamos:

1) - Desde 1500 o Brasil e os demais países do Terceiro Mundo (o colonizado) são os que vêm sustentando a Europa e depois também passaram a sustentar os Estados Unidos e o Japão, não somente de matérias-primas e mercadorias, como também de elevados lucros, incluindo o oriundo da Lavagem de Dinheiro de corruptos e outros tipos de bandidos como os sonegadores de tributos

2) - No século XV os governantes europeus financiaram a descoberta do "Caminho para as Índias", porque já naquela época os países europeus estavam falidos. Por tal motivo era preciso buscar em outros lugares (além mar, como diziam os portugueses) as matérias-primas e as mercadorias que a Europa precisava e não tinha.

Veja explicações complementares em Os Países e suas Reservas (Minerais) Estratégicas, baseado em texto de autoria de um professor português.

ESCONDENDO DO POVO A VERDADE DOS FATOS

Desde aquela longínqua época a lavagem cerebral continuamente aplicada aos povos do Terceiro Mundo não tem permitido que as populações desses países colonizados percebam que são os verdadeiros ricos, enquanto os chamados de desenvolvidos são os países pobres em reservas minerais, são pobres em áreas cultiváveis e são pobres em biodiversidade porque tudo que existia por lá foi consumido ou destruído pelas eternas guerras étnicas ou religiosas, o que também vem acontecendo em quase toda a África e no mundo árabe.

Os representantes do Grande Capital já tentaram fomentar umas guerrinhas na América do Sul, principalmente entre colombianos e venezuelanos (de Hugo Chávez) e entre o Brasil e a Bolívia (de Evo Morales).

Desde os tempos do Brasil Colônia, passando pelo Brasil Império e principalmente pela Velha República ou República Oligárquica foi utilizada uma simples estratégia para desmoralização dos brasileiros. Os estrangeiros e seus descendentes (que não eram mestiços) diziam que todo brasileiro é vagabundo, porque não quer trabalhar em regime escravo ou de semiescravidão, principalmente depois de assinada a Lei Aérea.

Querendo reimplantar a escravidão no Brasil, um ano e meio depois de firmada a Lei Áurea, a nossa elite oligárquica proclamou a República para ser a nova colonizadora do Brasil, aliada à Inglaterra.

Desde a morte de Getúlio Vargas, em 24/08/1954, nas ruas muitos brasileiros engajados no MAC - Movimento Anticomunista diziam: temos que entregar o Brasil aos norte-americanos; só eles podem nos proteger da invasão comunista.

Um esquerdista pichou uma frase no muro de uma residência da Rua São Francisco Xavier, próximo ao estádio do Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, em contraponto à propaganda feita pelo MAC:

"Ninguém USA o Brasil, porque quem o USA sou EEUU".

REGULAMENTAÇÃO DOS SINDICATOS DE TRABALHADORES

Depois de um Golpe de Estado que em 1930 deu fim à República Oligárquica, para evitar que os trabalhadores negros, mestiços e os brancos empobrecidos fossem explorados pelos donos do poderio econômico, Getúlio Vargas (considerado como "Pai dos Pobres") regulamentou o sistema sindical, que foi chamado de Lei dos Dois Terços porque estabelecia que os sindicatos só podiam ter em suas fileiras no máximo um terço de estrangeiros.

Isto impedia que grande parte dos trabalhadores estrangeiros conseguisse a sua sindicalização. O mesmo acontece na Europa e nos Estados Unidos até os dias de hoje com a mesma finalidade de evitar a "tomada" (invasão) do País por estrangeiros vindos do Terceiro Mundo (América Latina, África e Ásia).

Assim, no Brasil de antigamente os estrangeiros excedentes passaram a trabalhar como agentes autônomos (negociantes, representantes comerciais ou varejistas) e muitos deles enriqueceram. Por isso diziam que os brasileiros não enriqueciam porque eram vagabundos. Diziam ainda que foram os migrantes europeus que engrandeceram o Brasil. Na realidade sugaram nossas riquezas.

Entretanto, se fossem fornecidos empregos aos negros, mestiços e aos brancos empobrecidos, com salários justos semelhantes aos que eram pagos aos estrangeiros, todos esses desprezados nativos poderiam ter engrandecido o Brasil, talvez até com muito mais dedicação ao trabalho e proveito para o nosso País, porque os brasileiros empreenderiam seus ganhos aqui, enquanto os estrangeiros sustentavam suas famílias no exterior, o que também vêm fazendo os brasileiros que nos dias de hoje trabalham no exterior.

Antes da regulamentação dos sindicatos, uma grandiosa propaganda difamatória (boca a boca) dizia que os brasileiros eram vagabundos, enquanto todo estrangeiro era considerado como "gente trabalhadora".

OS BRASILEIROS SÃO VAGABUNDOS

Durante o Século XX era comum ouvir os estrangeiros e seus descendentes, principalmente europeus, dizerem que eram pessoas de alta estirpe porque eram brancos, enquanto os verdadeiros brasileiros eram cães vira-latas porque eram mestiços, descendentes de índios ou de negros (ex-escravos).

Adolf Hitler (nazista) também só considerava os brancos (arianos) como raça pura.

Com semelhante intuito, neste Século XXI os extremistas de direita propagam também boca a boca que é um absurdo o Governo Federal dar o "Bolsa Família" para aquelas "vagabundas" (cheias de filhos) que não querem trabalhar. Só falta denominá-las como "gentalha", tal como fazia a dona Florinda, mãe do Kiko, amigo do Chaves no seriado juvenil veiculado pela Televisão.

Para tais indivíduos segregacionistas é perguntado: Você está querendo dizer que prefere que o Governo gaste mais de R$ 3 mil por mês para sustentar os presidiários, do que gastar R$ 200 para ajudar as mães pobres e seus respectivos filhos para que estes não sejam os presidiários do futuro?

Continuando, é informado ao nefelibata (fora da realidade) que na Europa, em alguns países, as mães chegam a receber do Governo o equivalente a US$ 5 mil por mês só para ficarem em casa gerando e cuidando dos seus filhos.

Então, o indivíduo segregacionista, geralmente diz: - Sim. Mas, os paises europeus são ricos e nós somos pobres.

PRECONCEITO E DISCRIMINAÇÃO - SEGREGAÇÃO SOCIAL

Enquanto esse quase irreversível descompasso social ocorre nas classes sociais inferiores, a população brasileira mais endinheirada gasta rios de dinheiro com sistemas de segurança privada. Os ricos vivem nos dias de hoje como viviam seus pares na Idade Média.

Os Senhores Feudais da Idade Média viviam em seus castelos (condomínios fechados) com enormes muralhas, com muitos capatazes, serviçais, protegidos por paramilitares fortemente armados, escravizando seus empregados mediante salários insuficientes à digna sobrevivência.

Isto significa que "aquela gentalha", que não aceitou o trabalho em regime de semiescravidão comandado pelo senhor feudal, foi expulsa de suas antigas lavouras.

A partir da revolução industrial os colonos que fugiram das lavouras passaram a morar em comunidades formadas no entorno das fábricas porque nelas os trabalhadores eram mal remunerados. Muitos moravam em alojamentos fornecidos pelas empresas.

Em razão dessa insana exploração dos menos favorecidos, foram regulamentados os sindicatos de trabalhadores. Afinal, as indústrias com o decorrer do tempo transformaram-se em ilhas de prosperidade cercadas de favelas por todos os lados, porque muitas deixaram de fornecer alojamentos a seus empregados.

SERÁ QUE EXISTE SOLUÇÃO PARA TÃO GRANDE PROBLEMA?

Pois é, qual seria a melhor solução para esse problema de marginalização dos menos favorecidos?

A solução seria a de cuidar melhor dos nossos filhos no momento presente para que eles não sejam os marginais ou criminosos do futuro.

Considerando-se as premissas básicas da Contabilidade de Custos, para se evitar os Gastos Públicos Inúteis, seguindo-se o exemplo dado pela Indonésia, quando Dilma novamente pisou na bola ao se intrometer contrariamente à legislação vigente naquele soberano país, no Brasil também deveria ser estabelecida a pena de morte para os criminosos que cometam outro crime depois de condenados pelo primeiro cometido.

A pena de morte também seria imposta àqueles que já tenham cometido uma série de crimes com penas, que somadas, alcançassem mais de 30 anos.

OS AJUSTES FISCAIS PARA REDUÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS

Levando-se em consideração a necessidade dos tão propalados Ajustes Fiscais, a Prisão Perpétua de nada adiantaria porque os Gastos Públicos para manutenção dos condenados continuariam a existir e seriam excessivamente elevados em razão do crescente número de presidiários.

Por sua vez, os cidadãos comuns, os mais ricos e principalmente os criminosos sonegadores de tributos não gostariam de arcar com tais Gastos Públicos Inúteis.

Com a implantação da Pena de Morte, o réu primário depois de condenado nem precisaria ficar preso. Ficaria em liberdade condicional.

Daí em diante, se viesse a cometer outro crime, o infrator de qualquer idade iria direto para o paredão de fuzilamento, assim evitando os elevados Gastos Públicos com o Poder Judiciário e com o Sistema Carcerário.

Considerando-se somente que é de 500 mil o número de encarcerados e que o Gasto Público com cada um deles é de R$ 3 mil por mês, teremos um gasto mensal de R$ 1,5 bilhões, num total de 18 bilhões por ano.

Nesse valor encontrado não está o custo do Poder Judiciário que seria em média de R$ 50 mil por réu julgado a cada ano. Para cada 20 mil processos julgados a cada ano, o Gasto Público ficaria aumentado em R$ 1 bilhão.

Se considerarmos que o "Bolsa Família" tem como intuito cuidar dos cidadãos do futuro, investindo verba semelhante à inutilmente gasta com os criminosos do passado, ao cidadão comum não restaria dúvida de que o Bolsa Família é mais produtivo, embora seja veementemente condenado pelos escravocratas e segregacionistas de sempre.

COMO DESESTABILIZAR UMA NAÇÃO

O Esperto Manipulando o Otário
ou
A Nossa Aristocracia Sendo Manipulada pelos Estrangeiros
Tal como faz a Mídia Mercenária e tal como fazem os demais Inimigos do Povo

Título: Chicken Little - por Walt Dysney - originalmente lançado em 1943
Versão digitalizada em cores, dublada em Português.