início > textos Ano XXI - 8 de julho de 2020


QR - Mobile Link
ESCÂNDALO - FRAUDE PREJUDICA PARMALAT EM OFERTA DE AÇÕES

FRAUDES FINANCEIRAS E OPERACIONAIS DAS MULTINACIONAIS

CRIMES CONTRA INVESTIDORES - MANIPULAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

São Paulo, 17/05/2010 (Revisado em 14-09-2018)

Referências: Casos Parmalat e Enron, Planejamento Tributário, Sonegação Fiscal, Evasão Cambial ou de Divisas, Lavagem de Dinheiro, Fraudes nas Bolsas de Valores, Paraísos Fiscais - As Ilhas do Inconfessável. Contabilidade Criativa = Fraudulenta. Desfalques dos Executivos e Acionistas Controladores da Companhias Abertas, Supervalorização de Bens na Integralização de Capital no Exterior, Superfaturamento das Importações e Subfaturamento das Exportações, Os Problemas Enfrentados pelos Auditores Independente e pela Auditoria Interna.

Escândalo - Fraude prejudica Parmalat em oferta de ações

Publicado em 31/10/2007 pelo site Opinião e Notícia - Extraído em 16/05/2010. Com comentários e anotações ou negrito por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE.

As ações da Parmalat tiveram preço inicial 45% abaixo do previsto, permitindo à Laep captar apenas R$ 507,6 milhões do R$ 1 bilhão planejado.

A captação foi prejudicada pelo envolvimento da empresa em escândalo de adulteração de leite com soda cáustica e água oxigenada por fornecedores da Parmalat. Isso afugentou os investidores e derrubou a oferta pública de Brazilian Depositary Receipts (BDR, certificados que permitem a empresas estrangeiras terem acesso ao mercado acionário brasileiro) da Laep Investments [sediada na cidade Hamilton no paraíso fiscal das Bermudas - no Mar do Caribe - América Central - endereço: Claredon House 2 Church Street HM11 Bermuda], que controla a empresa.

NOTA DO COSIFE:

No site da holding Laep Investiments, em 16/05/2010, foram encontradas as seguintes informações:

A LAEP Investments Ltd. (“LAEP” ou “Companhia”) atua na produção, beneficiamento, comercialização e distribuição de leite e seus derivados e, para maximizar sua estrutura, produz e distribui, biscoitos, bolos, sucos e chás. A LAEP acredita ser a única empresa do setor lácteo com efetiva presença em todo o território nacional, com fábricas localizadas próximas às principais bacias leiteiras e centros consumidores do País. A Companhia possui marcas reconhecidas no setor lácteo brasileiro, tais como a marca “Parmalat”, a marca mais forte e conhecida do setor lácteo no Brasil, uma vez que foi considerada Top of Mind na categoria leite por sete vezes nos últimos oito anos, inclusive no ano de 2006, e as marcas “Glória”, “Alimba”, “Lacesa”, “Kidlat”, “Lady” e “Ibituruna”, "Poços de Caldas" e "Paulista".

O grupo LAEP foi fundado em 1994 para realizar investimentos de private equity, com foco em aquisições de empresas e implementação de turnarounds. Desde a sua constituição, o grupo LAEP fez seis investimentos, especialmente nos setores de alimentação e varejo, como a GDC Alimentos S.A. (peixes enlatados com a marca Gomes da Costa), Camil Alimentos S.A. (arroz e feijão) e Eurocash S.A. (cadeia de distribuição cash & carry da Polônia).

Em 26 de maio de 2006, o grupo LAEP adquiriu o controle da Parmalat Brasil no âmbito do seu Plano de Recuperação Judicial. Para maiores informações sobre a recuperação judicial, ver “Contingências Judiciais e Administrativas – Recuperação Judicial”. Historicamente, a Parmalat Brasil é a maior empresa de produtos lácteos no Brasil e a única com presença em todo território nacional, tendo sido, até o ano de 2003, líder de mercado com cerca de 18% de market share. Nos anos de 2004 e 2005, a Parmalat Brasil passou por uma crise decorrente da falência de sua então controladora localizada na Itália e buscou proteção nos termos da Lei de Recuperação de Empresas. Desde a aquisição pelo grupo LAEP, a Parmalat Brasil tem obtido importantes melhoras financeiras e operacionais. Atualmente, a Parmalat Brasil fabrica e distribui mais de 600 milhões de toneladas de produtos por ano.

Em 29 de junho de 2007 foi criada a Integralat, que tem se mostrado eficiente em outras áreas da agricultura utilizando modelo de integração, para suprir as ineficiências da cadeia produtiva do leite e produzir leite a baixo custo e com alta produtividade e qualidade.