início > textos Ano XXII - 24 de janeiro de 2021


QR - Mobile Link
EX-PREMIÊ DA ISLÂNDIA É PRIMEIRO POLÍTICO CULPADO PELA CRISE GLOBAL

A LIÇÃO DEMOCRÁTICA DA ISLÂNDIA

A FALÊNCIA DOS BANQUEIROS IMPOSTA PELO POVO

São Paulo 17/05/2012 (Revisado em 24-10-2018)

Referências: Capitalismo Neoliberal Anarquista verssus Socialismo Democrático, IDH - Índice de Desenvolvimento Humano, Falência do Sistema Financeiro Privado na Islândia, Importações maiores que as Exportações, Déficit no Balanço de Pagamentos, Especulação Financeira e Imobiliária, Mercado de Balcão de Bancos e Pregão das Bolsas de Valores e de Mercadorias e Futuros - Cassino Global.

EX-PREMIÊ DA ISLÂNDIA É PRIMEIRO POLÍTICO CULPADO PELA CRISE GLOBAL

Publicado pelo Estadão em 23/04/2012. As informações são da Dow Jones.

Haarde foi um dos quatro integrantes do governo acusados em 2010 por contribuir para o colapso do setor bancário islandês no fim de 2008, quando os grandes bancos do país faliram

REIKJAVIK [Iceland = Islândia] - O ex-primeiro-ministro da Islândia Geir Haarde é o primeiro político a ser processado com relação à recente crise financeira global. Haarde liderou o Partido Independência, de centro direita, e foi primeiro-ministro entre meados de 2006 e o início de 2009, quando seu governo de coalizão foi retirado do poder em meio a uma revolta da população por causa da crise financeira.

Haarde foi um dos quatro integrantes do governo acusados em 2010 por contribuir para o colapso do setor bancário islandês no fim de 2008, quando todos os grandes bancos do país faliram em algumas semanas. A crise do setor bancário jogou a Islândia em uma profunda recessão, levando a um resgate de US$ 2,1 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Parlamento islandês, agora dominado por oponentes a Haarde, decidiu em setembro de 2010 que ele deveria ser o único processado pelo colapso do setor bancário do país. Posteriormente um tribunal rejeitou a maior parte das acusações sérias de "ampla negligência", mas hoje ele foi considerado culpado por não reunir seu gabinete quando a crise se tornou crítica, em 2008.

Na decisão anunciada hoje [23/04/2012] para o julgamento que havia começado em 5 de março [de 2012], um tribunal especial da Islândia condenou Haarde em uma das quatro acusações pelas quais foi julgado por sua atuação durante o colapso dos bancos do país. Haarde foi declarado culpado por não se reunir com seu ministério quando a crise se tornou crítica.


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.