início > textos Ano XX - 18 de agosto de 2019



QR - Mobile Link
PADRÃO - COMMODITIES - AS MATÉRIAS-PRIMAS COMO RESERVAS ESTRATÉGICAS

OS ESTADOS UNIDOS E A CONVERSÃO DA SUA DÍVIDA

A EXTINÇÃO DO SISTEMA MONETÁRIO INTERNACIONAL

São Paulo, 28/03/2009 (Revisado em 13-09-2018)

Referências: Derrocada Financeira Norte-Americana, Crise Mundial ou Internacional, Estados Unidos como Emissor Mundial de Papel Moeda Sem Lastro, Cesta de Moedas, Moeda Padrão, Padrão-Ouro e Padrão Commodities, Bolsas de Valores e de Mercadorias e Futuros, Operações de Hedge (Seguro, Proteção), Internacionalização do Capital em Paraísos Fiscais, Renegociação e Conversão da Dívida, Balanço de Pagamentos, Comércio Exterior - Importação e Exportação.

5. PADRÃO - COMMODITIES - AS MATÉRIAS-PRIMAS COMO RESERVAS ESTRATÉGICAS

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Na tentativa de resolver o citado problema da falta de lastro da moeda-padrão internacional (o dólar), surgiu a ideia de se lastrear o papel moeda norte-americano também em commodities (mercadorias ou matérias primas negociadas nas Bolsas de Mercadorias e Futuros).

São negociados nas referidas bolsas na qualidade de commodities: ouro e pedras preciosas, produtos agrícolas e pecuários (incluindo alguns semi-industrializados)  e minérios (incluindo o petróleo).

Nas Bolsas de Mercadorias e Futuros ainda podem ser negociados contratos ou compromissos de compra e venda em data futura de moedas estrangeiras, de índices e de commodities que servem como hedge (proteção) para evitar grandes oscilações de preços desses itens negociados.

Então, em síntese, o "mercado futuro" das Bolsas de Valores e Mercadorias tem como finalidade garantir preços de determinados itens apregoados nas Bolsas, no sentido de evitar significativas oscilações até a data em que aquela matéria prima seria normalmente vendida ou comprada. O mesmo acontece com a negociação de ativos e passivos como as ações representativas de participações societárias, as variações monetárias das contas a receber ou a pagar ()indexadas)  e as oscilações das taxas de juros de empréstimos ou investimentos de capital.

Mas, a implantação desse novo padrão commodities enfrentou grave problema estrutural e conjuntural, que resultou na não aprovação dessa medida paliativa.

Os principais produtores das commodities (exportáveis na qualidade de matéria-prima) são os países subdesenvolvidos e em desenvolvimento do hemisfério Sul (Terceiro Mundo), os quais, dessa forma, passariam a ser bem mais importantes no cenário mundial. Ou seja, o novo padrão monetário sugerido não foi aceito porque os países desenvolvidos (obviamente não possuidores de matérias-primas) não queriam perder a sua hegemonia.

Assim, os desenvolvidos continuam recebendo as matérias-primas necessárias à manutenção dessa hegemonia por preços subavaliados ou subfaturados e em troca os países hegemônicos apenas oferecem aos subdesenvolvidos um papelzinho verde, sem valor legal, simplesmente porque não tem lastro.

Trata-se de uma situação em que o devedor entrega ao credor um papelzinho sujo com tintas verde e preta que significa dizer: "devo, não nego, pagarei quando puder, se de fato algum dia puder pagar".

PRÓXIMO TEXTO: CESTA DE MOEDAS OU MOEDA PADRÃO = RESERVAS MINERAIS


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.