início > textos Ano XXII - 18 de janeiro de 2021


QR - Mobile Link
A INSENSATEZ DA TEORIA ANÁRQUICA DA AUTORREGULAÇÃO DOS MERCADOS

A DERROCADA FINANCEIRA NORTE-AMERICANA

PRIVATIZAÇÃO DOS LUCROS E SOCIALIZAÇÃO DOS PREJUÍZOS

São Paulo, 20/09/2008 (Revisado em 13-09-2018)

A INSENSATEZ DA TEORIA ANÁRQUICA DA AUTORREGULAÇÃO DOS MERCADOS

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Na 63ª Assembléia Geral da ONU realizada em setembro de 2008, ocasião em que vários mandatários das nações fizeram seus discursos, foi possível observar como regra geral que todos os oradores, exceto Bush, estavam deveras preocupados com a insensatez da teoria da "autorregulação dos mercados" em razão dos inegáveis efeitos negativos que tem obrigado o mundo suportar em razão de ser fundamentada na doutrina básica ou na teoria política do Anarquismo.

O francês Sarkozy com outras palavras destacou que o sistema capitalista deve ser melhor regulamentado para que as instituições financeiras passem a financiar somente o real desenvolvimento econômico, deixando de lado o mero financiamento da especulação financeira e imobiliária. O pronunciamento referia-se ao que estava acontecendo nos Estados Unidos e também já aconteceu no Brasil, razão pela qual foram tentados sucessivos e mirabolantes Planos Econômicos que quase deixaram o Brasil falido no final do século XX tal como já estavam e ainda estão os nossos irmãos ianques, cujo fatídico colapso aconteceu no início deste século XXI.

Por sua vez, naquela Assembleia da ONU o brasileiro Lula deixou claro, também com outras palavras, que a crise financeira pré-falimentar vivida pelos Estados Unidos, que chamou de crise financeira global, tal como o francês Sarkozy, exige que sejam elaboradas regras para melhoramento dos sistemas de controle das instituições financeiras pelas respectivas autoridades monetárias de cada país. Na verdade Lula quis dizer que a chamada de “autorregulação dos mercados”, tão preconizada pelos anarquistas (chamados de neoliberais), foi a grande culpada pelos constantes escândalos desencadeados pelas empresas norte-americanas que inegavelmente foram provocados pelas falcatruas por realizadas por seus executivos e acionistas controladores.

Veja como um Executivo, tido como "excelente" administrador, pode facilmente Quebrar uma Empresa. Veja também o texto intitulado O Capitalismo Bandido dos Barões Ladrões e ainda o denominado O Estado Empreendedor e a Falta de Iniciativa Privada.

Por sua vez, o Bush Filho, como nunca tem nada de consistente a dizer, mesmo porque não tem capacidade intelectual para realmente entender e explicar o que está acontecendo em seu país, na referida Assembleia da ONU preferiu falar sobre o “terrorismo”. Parecia não saber que o verdadeiro terrorismo está sendo espalhado pelo mundo em razão da crise financeira pré-falimentar vivida por seu país. A crise estadunidense tem provocado muitas preocupações aos demais governantes e incertezas nos setores produtivos e nos improdutivos.

Entre os principais mercados ou setores improdutivos estão as Bolsas de Valores e os demais mercados financeiros globais meramente especulativos.

PRÓXIMO TEXTO: CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE A DERROCADA FINANCEIRA DOS IANQUES


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.