início > textos Ano XX - 19 de julho de 2019



QR - Mobile Link
QUEBRA DA BOLSA DE VALORES DO RIO DE JANEIRO

QUEM ABRIU A PORTA À LAVAGEM DE DINHEIRO?

OS BANCOS COMO AGENTES DA LAVAGEM DE DINHEIRO E DA BLINDAGEM FISCAL E PATRIMONIAL

QUEBRA DA BOLSA DE VALORES DO RIO DE JANEIRO (Revisado em 10-07-2018)

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Aquele mesmo presidente do Banco Central que firmou a Resolução CMN para criação do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes e que tinha seu filho com titular de uma distribuidora de valores que participava dos esquemas de desfalque em Fundos de Pensão, também havia participado da administração de um banco juntamente com um conhecidíssimo “megainvestidor”, digo “megaespeculador”, que foi tido como um grande manipulador de preços ditos “de mercado” em transações realizadas nas Bolsas de Valores de São Paulo e do Rio de Janeiro.

A especulação em todos os tipos de mercados era tão grande que não havia como combater a inflação reinante. Porém, os economistas de plantão, completamente perdidos, apenas diziam que a melhor forma de combater a inflação era mediante o aumento da taxa de juros. Entretanto, em suas previsões sempre diziam a taxas de inflação nos meses seguintes seriam ainda maiores. Se de fato queriam combater a inflação deviam dizer o inverso.

Então, os especuladores logo entendiam a mensagem "criptografada" e aumentavam seus preços de venda pelo dobro percentual previsto pelos importantes consultores econômicos.

Assim, com base em tais inconsequente previsões o esperto megaespeculador fazia suas apostas e chegou a ser acusado de quebrar a Bolsa do Rio, porque esta ficou com o ônus de pagar as perdas não honradas pelo mesmo, o que também contribuiu para a quebra de diversas pequenas entidades do sistema distribuidor de valores mobiliários que lhe tinham emprestado dinheiro mediante a antecipação de créditos relativos à venda de ações. Essas pequenas instituições emprestavam recursos do seu capital de giro e muitas corretoras de valores conseguiam o dinheiro do “Fundo de Garantia” constituído pelas Bolsas de Valores.

Veja também o texto Megaespeculador era Nota Promissória Ambulante - Fatos Antigos Fazem a História, Evitando Erros Futuros.

Na prática, em menor escala, naquela época aconteceu no Brasil o que aconteceu em 2008 nos Estados Unidos da América: A ganância da iniciativa privada meramente especuladora quebrou o País.

PRÓXIMA PÁGINA: EXTINÇÃO DO CARGO DE AUDITOR DO BANCO CENTRAL DO BRASIL


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.