LIVRO DE INVENTÁRIO E SISTEMAS DE CONTROLE DOS ESTOQUES - http://www.cosif.com.br/
Ano XVI - São Paulo, 24 de outubro de 2014



Mobile Link
 

LIVRO DE INVENTÁRIO E SISTEMAS DE CONTROLE DOS ESTOQUES


LIVROS, REGISTROS E DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

LIVRO DE INVENTÁRIO E SISTEMAS DE CONTROLE DOS ESTOQUES

NOTAS:

(Revisado em 26-03-2013)

CONTROLES DE ESTOQUES - INVENTÁRIO

Com base nos dados escriturados no Livro de Registro das Entrada de Mercadorias e no Livro de Registro das Saída de Mercadorias, além do Livro de Apuração do ICMS e do IPI, podem ser efetuados os Controles de Estoques de matérias primas, materiais, elementos, conjuntos e equipamentos necessários à produção e os Controles de Estoques de mercadorias para venda ou revenda.

INVENTÁRIO PERPÉTUO

Esses controles diários dos diversos tipos de estoques é chamado de Inventário Perpétuo.

O Livro de Controle de Estoques (auxiliar ao Livro Diário e ao Razão) é considerado um sistema de Inventário Perpétuo porque oferece a posição que seria escriturada no Livro de Inventário. Portanto, os saldos dos estoques em determinada data, proporcionado pelo sistema de Inventário Perpétuo, com a utilização do Livro de Controle de Estoques, deve coincidir com os saldos constantes do Termo de Auditoria dos Estoques que será registrado no Livro de Inventário.

INVENTÁRIO PERIÓDICO

O Inventário Periódico é aquele efetuado somente na data de levantamento de Balanços Patrimoniais e Balancetes Mensais com escrituração somente do Livro de Inventário.

O levantamento periódico dos estoques pode ser denominado como Termo de Auditoria dos Estoques.

Veja explicações complementares em Critérios de Avaliação dos Estoques e em Livro de Registro do Inventário.

CÓDIGOS DE IDENTIFICAÇÃO DAS MERCADORIAS

De 1989 a 1995 no Brasil foi utilizado NBM - Nomenclatura Brasileira de Mercadorias. A partir de 1996 passou a ser usada NCM - Nomenclatura Comum do Mercosul. Maiores detalhes podem ser obtidos no site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Ainda no site do citado Ministério, veja o SH - Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias ou simplesmente SH - Sistema de Harmonização que é um método internacional de classificação de mercadorias, baseado em uma estrutura de códigos e respectivas descrições. Este Sistema foi criado para promover o desenvolvimento do comércio internacional, assim como aprimorar a coleta, a comparação e a análise das estatísticas, particularmente as do comércio exterior.

O livro ou sistema eletrônico de Controle dos Estoques deve apresentar no mínimo os seguintes dados:

  • Número do Código de Barras do Produtos
  • Denominação da Mercadoria
  • Quantidade
    • Saldo Físico Inicial Existente no Estoque
    • Quantidade Física da Entrada de Mercadoria
    • Quantidade Física da Saída de Mercadoria
    • Quantidade Final Existente no Estoque
  • Valorização do Estoque
    • Saldo Anterior
    • Valor de Custo das Entradas
    • Valor de Custo das Saídas
    • Valor do Saldo Final Existente em Estoques
  • Custo Médio das Mercadorias em Estoque
  • Estoque Físico Mínimo
  • Quantidades Necessárias à Reposição do Estoque Mínimo

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES

SISTEMAS DE CUSTEAMENTO

Segundo o RIR/1999:

CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS

No sistema de Inventário Perpétuo, o custo das mercadorias vendidas geralmente é igual ao valor dessas mercadorias registrado no Estoque. Assim, o custo pode ser contabilizado individualmente a cada operação de venda.

No sistema de Inventário Periódico, para que seja encontrado o custo (global) das mercadorias vendidas, usa-se a seguinte expressão algébrica:

Custo das Mercadorias Vendias = Inventário Inicial + Compras - Inventário Final

LIVRO DE REGISTRO DO INVENTÁRIO

O Livro de Inventário exigido pelo item I do artigo 260 do RIR/1999 - Regulamento do Imposto de Renda é o mesmo constante do RIPI - Regulamento do IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados.

O Livro de Inventário pode ser escriturado de forma manual, mecanizada ou por sistema eletrônico de processamento de dados, utilizando-se dois métodos:

  • INVENTÁRIO PERIÓDICO
  • INVENTÁRIO PERPÉTUO.

INVENTÁRIO PERIÓDICO

Em muitas empresas o inventário de mercadorias em estoque só é efetuado na data do levantamento do Balanço Patrimonial anual, quando, para efeito de controles gerenciais, deveria ser no mínimo escriturado por ocasião do levantamentos dos Balancetes Mensais. Esse método de controle de estoques é chamado de Inventário Periódico e geralmente só é usado nas pequenas empresas em que sua escrituração é manual.

Quando ainda não existiam os computadores pessoais (Personal Computer - PC) algumas empresas usavam um sistema de controle individual dos estoque que era conhecido como KARDEX. Com barateamento das máquinas de contabilidade mecânicas, estas substituíram o KARDEX em muitas empresas de médio porte.

A desvantagem do levantamento do Inventário Periódico (anual ou mensal) é que somente naquelas datas era calculado (obtido) o Custo das Mercadorias Vendidas, que é a diferença entre o Estoque Inicial (obtido no Inventário Anterior), adicionado das compras realizadas no período e deduzido o Estoque Final.

Este sistema não é o ideal porque só anualmente ou mensalmente o empresário ficará sabendo o Custo das Mercadorias Vendidas, que deduzido do total das receitas obtidas com a Venda de Mercadorias, dará o valor do seu Lucro Bruto, do qual serão deduzidas as despesas operacionais e não operacionais para efeito de saber qual será o lucro líquido obtido ou o prejuízo sofrido com a atividade empresarial.

Veja o Livro Modelo 7 de Registro do Inventário no site do CONFAZ, cujo endereçamento também está no final do texto do Convênio SINIEF S/N de 13/15/1970. A forma de preenchimento do Livro de Inventário também está no Convênio SINIEF em seu artigo 76.

INVENTÁRIO PERPÉTUO

O Inventário Perpétuo é aquele efetuado com base em Controles de Estoques escriturados de forma individualizada e diariamente, geralmente por sistemas mecanizados ou por processamento eletrônico de dados.

Neste sistema o estoque de mercadorias geralmente está escriturado pelo seu custo médio. Portanto, o relatório com os saldos em estoque, equivalente ao Livro Razão, terá o saldo físico de mercadorias e o seu custo total. Assim sendo, a cada movimentação do estoque é possível ter o saldo anterior, as entradas, as saídas e o saldo atual. O Custo da Mercadoria Vendida (CMV) é obtido a cada movimentação do estoque multiplicando-se o seu custo médio pela quantidade vendida. Esse CMV comparado com Preço da Venda dará o montante do Lucro Bruto de cada produto vendido por ocasião de cada movimentação do estoque.

As folhas do relatório de processamento eletrônico dos estoques (Inventário Perpétuo), poder ser encadernadas como Livro de Inventário, que é um livro auxiliar ao Livro Diário e ao Livro Razão. E, se o relatório tiver todos os requisitos mínimos dos livros de Entrada e Saída de Mercadorias exigidos pela legislação do ICMS e do IPI, poderá substituir os mencionados livros de escrituração fiscal.  Para isso, os relatórios de processamento eletrônico dos estoques deverá conter balancetes com as totalizações das entradas e saídas de mercadorias e dos créditos e débitos do ICMS e do IPI, com respectivos saldos anteriores e atuais.





Atendimento
Central do Assinante
Licença de Uso
Política de Privacidade
Suporte - Helpdesk
Suporte ao Usuário
Busca Avançada
Ajuda
Mapa do Site
FAQ
Comercial
Assine Já
Anuncie Aqui
Estatisticas
Institucional
Coordenação
Editoração
Expediente
Contato
twitter.com youtube.com google.com rss antispam.br
©1997-2014   Megale Mídia Interativa.   Todos os direitos reservados para Américo Garcia Parada Filho.